terça-feira, 23 de julho de 2013

“Jovens são importantes no projeto de Deus”, afirma padre André


André Luiz Garcia foi convidado para participar de missa com o Papa
 
            O padre itapetiningano André Luiz Garcia (foto), deverá participar de missa celebrada pelo Papa Francisco na Catedral de São Sebastião, no Rio de Janeiro, no próximo dia 27, sábado. O evento é restrito a bispos e religiosos. O convite ao padre foi feito através de e-mail enviado pelo comitê organizador da Jornada Mundial da Juventude.
            Em entrevista exclusiva ao Marconews, padre André falou sobre suas expectativas com relação à JMJ e da importância do jovem para a Igreja Católica. Aos 38 anos, Garcia exerce o sacerdócio há cinco anos. Atualmente, está à frente da Paróquia Nossa Senhora das Dores, em Saraupuí e é apresentador da TV Século 21.
           
Marconews - Qual a expectativa para a Jornada Mundial da Juventude? Por que este evento é importante para o Brasil?
Padre André - As minhas expectativas são as melhores possíveis, por vários motivos: Primeira vez da Jornada no Brasil, que vai reunir mais de 2 milhões de jovens do mundo todo, Primeira viagem apostólica do nosso Papa, e minha primeira participação num evento tão grandioso e internacional da nossa Igreja, o que nos enche de orgulho por sermos católicos.
Este evento é importante para o Brasil e para o mundo, pois quer mostrar ao mundo o potencial dos nossos jovens e que a Igreja acredita nos jovens e no seu protagonismo na evangelização de outros jovens que ainda não conhecem a Igreja ou não conhecem a Cristo. Oportunidade para que os nossos jovens afastados da religião vejam a alegria dos jovens que rezam, que praticam sua fé, que são felizes sem ser careta, sem usar drogas ou bebidas. De que é possível ser feliz sem pecado, sem erros, sem vícios, basta acreditar na força do amor que está em Deus e nos foi revelado por Jesus que nos amou e nos perdoou dando a vida Dele na Cruz e, ressuscitando, nos deu a vida plena.
Marconews - O senhor acha que o nosso país está preparado para um evento deste porte?
Padre André - Creio sim. Através desta jornada e de sua organização que vem sendo excelente em todos os níveis, o que dará provas sim, de que nosso país esta preparado para receber grandes eventos mundiais que virão à seguir, como por exemplo a Copa do mundo. Nada que com fé e união de forças, não se consiga realizar.
Marconews - A sua cidade participará do evento? Quantas pessoas irão para a JMJ?
Padre André - Sim. Minha Paróquia, Nossa Senhora das Dores, da cidade de Sarapuí, estará presente com 15 jovens, que estão bastante animados e entusiasmados para este grande encontro de fé.
Padre André com jovens de sua paróquia
Marconews - O evento terá uma série de atividades programadas. Vocês pretendem participar de todas ou há um roteiro pré-definido?
Padre André - Sim, de fato haverá uma série de eventos simultâneos em diversos pontos do Rio de Janeiro, como shows, catequeses, exposições, workshops, feiras vocacionais, etc...Nosso grupo esta preparando um roteiro para que possamos ir todos juntos em tudo o que for possível participar.
Marconews - O que vocês esperam ouvir do Papa Francisco?
Padre André - Esperamos ouvir do Santo Padre uma palavra de fé e esperança para nossos jovens não desanimarem diante de tantos desafios que encontram hoje na sociedade, como a falta de políticas publicas para a juventude, o crescente aumento da violência e da criminalidade que hoje atinge principalmente os jovens, que são presas fáceis para o trafico e a prostituição e principalmente a falta de estímulo dos jovens a buscarem a Deus e a Igreja, que faz muita diferença em suas vidas, propondo uma nova forma de viver a vida, centrada na justiça, no amor, no serviço e na caridade, propostas estas que Jesus nos apresenta para a transformação do mundo numa sociedade do amor e da paz. E nisto, nossos jovens são importantes neste projeto de Deus, pois seus carismas, suas energias e alegrias contagiam a todos e um jovem evangelizado, evangeliza com a força de Cristo, e o resultado sempre vai ser positivo. É um pouco isso que espero ouvir do Sucessor de Pedro.

segunda-feira, 22 de julho de 2013

JMJ: grupo se prepara desde 2012


Espiritualidade, vivência e mensagens do Papa Francisco estão entre as expectativas de jovens de Itapetininga durante Jornada Mundial da Juventude
 
 
 
Entre os cerca de dois milhões de peregrinos aguardados para a Jornada Mundial da Juventude, que começa oficialmente nesta terça, 23, no Rio de Janeiro, aproximadamente 350 serão jovens da Diocese de Itapetininga, que abrange 30 municípios, com uma população estimada de 400 mil pessoas.
            Cerca de 54 jovens representarão as 36 paróquias da Diocese, destes, um grupo de 17 pessoas será da Paróquia Santuário Nossa Senhora Aparecida do Sul. Eles estão animados e esperam participar do maior número de atividades possível.
Jovens de Itapetininga que participarão da JMJ
            O Marconews conversou com exclusividade com Rodrigo Furtado Borges Neto, Coordenador Diocesano da Pastoral da Juventude de Itapetininga e da Juventude Do Santuário de Nossa Senhora Aparecida.
            Segundo Furtado, as expectativas com relação ao evento são “as melhores possíveis: muita animação, muita vivencia de espiritualidade, missão e espirito de unidade, pois somos todos iguais”, afirmou o coordenador. Para ele, “não vai haver diferenças, os jovens vão se entender mesmo sendo de línguas diferentes. Este encontro com Cristo é um evento mundial aguardado há muito tempo pelos brasileiros”.
Rodrigo Furtado ressalta que a JMJ “torna-se importante para aumentar o numero de fieis católicos, sendo o nosso país uns dos mais católicos mesmo, intensificar a fé, a devoção, a espiritualidade, a valorização da juventude, a oração universal em conjunto”.
 
Brasil se prepara
            Assistente pedagógico na Prefeitura de Itapetininga, Furtado entende que o Brasil está “parcialmente” preparado para um evento do porte da Jornada Mundial da Juventude, “pois algumas coisas em nosso país estão em defasagem, como saúde e segurança. O Brasil se prepara do jeito que pode e busca isso da melhor forma possível, como se diz: o brasileiro sempre dá um jeitinho pra tudo, sendo que conta com a ajuda de muitos voluntários e até as inscrições foram com bastante antecedência e organização, e ainda foram feitos três seminários nacionais em Brasília em 2012 para preparar os coordenadores e jovens de todo país para esta grande acolhida”. Uma preparação que, segundo ele, começou em 2011, cm a chegada da Cruz Peregrina e o ícone de Nossa Senhora.
 
Itapetininga marca presença
            A Diocese de Itapetininga estará presente na JMJ com 350 jovens, com 54 deles representando as paróquias, “além de diversos outros grupos e congregações”, informa Rodrigo Furtado. Os 17 representantes da Paróquia Santuário de Nossa Senhora Aparecida do Sul, incluindo Rodrigo, pretendem participar do maior número de atividades possível. “Pretendemos participar de todas, mas são muitas atividades ao mesmo tempo. O que conseguirmos, participaremos”, disse o coordenador, acrescentando que o seu grupo irá se programar para participar das atividades em conjunto. “Ao chegarmos ao Rio de Janeiro receberemos a agenda com horário e local das atividades e com isso poderemos nos programar, porém vai do gosto de cada jovem, atividade é que não vai faltar, uma das atividades que já esta sendo divulgada é a tenda da juventude, da pastoral da juventude, que abre com oficinas contra a violência”.
            Furtado revela que não foi fácil escolher quem irá participar da jornada: “realmente a escolha destes jovens não foi fácil, mas (os escolhidos) são jovens ativos e atuantes na comunidade em diversas atividades, e desde novembro de 2012 nos preparamos para esta experiência e após vivenciá-la, já pensaremos no pós-jornada, ou seja, quais os frutos que faremos a serviço do reino em nossa comunidade”. O coordenador disse ainda que, entre os itapetininganos que participarão da JMJ, estão jovens ligados a diversos movimentos, como grupos de oração, irmãos do Santíssimo, ministros da Eucaristia, participantes da liturgia, da Pastoral da Comunicação, catequistas, músicos, acólitos e grupos de jovens.
Papa Francisco
            Rodrigo Furtado disse também o que os jovens esperam ouvir do Papa Francisco: “Palavras de incentivo, conforto, de fé, de vivencia, animação da caminhada, abrindo portas para os jovens, pois mais do que palavras é o exemplo de vida e de humildade que ele vem mostrando, vem fazendo ao falar que devemos cuidar do coração e preservar as coisas boas que vem de dentro, a caridade. Isto é o que esperamos e até mais: que ele nos transmita sua paz, seus ensinamentos de ser o nosso pastor e referência; aquele que conduz as ovelhas e que ora por uma juventude mais justa e fraterna. Também esperamos a benção de envio, que nos faz sermos discípulos e missionários a serviço do reino e evangelizar”.
 
 
Programação
            A JMJ começa com Missa de Abertura, que neste ano será celebrada pelo arcebispo do Rio de Janeiro, Dom Orani Tempesta, a quem caberá dar as boas-vindas aos peregrinos.
            A Cerimônia de Acolhida, que acontece na praia de Copacabana, no dia 25 (quinta-feira) marca o primeiro encontro do Papa com os jovens. Ele faz um pronunciamento aos peregrinos e a cidade sede dá as boas vindas ao pontífice.
            A jornada terá ainda uma via Sacra, que lembrará a Paixão e Morte de Cristo, vigília, que reunirá todos os participantes nos dias 27 e 28. Depois de apresentações artísticas e shows, Francisco faz um passeio de papamóvel entre os jovens e preside a oração.
 
Missa de Envio
Representa o envio de jovens ao mundo, atendendo ao lema. A ideia é mostrar que a Jornada não acaba. O peregrino volta para casa para anunciar o evangelho até a próxima edição. Os símbolos da JMJ são entregues aos jovens da próxima sede.
 
Catequeses
São momentos de formação religiosa que acontecem pela manhã, durante três dias seguidos. São presididas por bispos de diversos países. A Região Metropolitana do Rio vai ter 300 pontos de catequeses nos dias 24, 25 e 26 de julho.
 
Festival da Juventude
Reúne todos os atos culturais, como exposições, concertos, recitais, filmes, shows, dança, teatro, momentos de partilha propostos pelas conferências episcopais ou por movimentos, associações, pastorais, comunidades de leigos e congregações religiosas.
 
Feira Vocacional
O objetivo é que congregações e comunidades católicas despertem novas vocações religiosas entre os jovens. O evento vai acontecer na Quinta da Boa Vista, na Zona Norte. Serão 130 expositores, 150 estandes, 50 confessionários, palcos para shows, oficinas de palestras e uma tenda de adoração ao Santíssimo Sacramento.
 
História da Jornada
Em 1984 foi celebrado na Praça São Pedro, no Vaticano, o Encontro Internacional da Juventude com o Papa João Paulo II, por ocasião do Ano Santo da Redenção. Na ocasião, o Papa entregou aos jovens a Cruz que se tornaria um dos principais símbolos da JMJ, conhecida como a Cruz da Jornada ou Peregrina. O ano de 1985 foi declarado Ano Internacional da Juventude pelas Nações Unidas. Em março houve outro encontro internacional de jovens no Vaticano e no mesmo ano o Papa anunciou a instituição da Jornada Mundial da Juventude.
Todos os anos ela acontece em âmbito diocesano, celebrada no Domingo de Ramos e, com intervalos que podem variar entre dois e três anos, são feitos os grandes encontros internacionais. A Primeira em Roma, em 1986, depois Argentina, Espanha, e Polônia (país onde nasceu João Paulo II). Em 1995, a JMJ realizada em Manila, nas Filipinas, reuniu quatro milhões de participantes, o maior número até agora.

quinta-feira, 18 de julho de 2013

Camaro Z/28: um clássico que ressurge

Chevrolet apresenta carro reestilizado
 
 
 
            Considerado um dos ícones dos carros esportivos americanos, o Camaro Z/28 (foto) foi apresentado pela Chevrolet no último Salão do Automóvel de Nova Iorque, junto com a linha 2014 do Camaro, que passou por reestilização.

 
O Z/28 é um clássico americano
 
 

            O carro passou por mudanças exteriores que visam melhorar o coeficiente de penetração aerodinâmica e a refrigeração do motor V8, incluindo entrada de ar no capô e um aerofólio traseiro. O Camaro “normal” (e desde quando esse carro é normal?) já pode ser visto em comerciais de TV, onde a Chevrolet apresenta a linha 2014 que será vendida no Brasil.
Carro nasceu para alta performance
            Já o Z/28, que deverá dar as caras na primavera de 2014 (nos Estados Unidos) ganhou um pacote de modificações que o tornaram mais leve e veloz – até três segundos por volta, segundo teste comparativo com o Camaro ZL1. Até os bancos traseiros foram modificados para deixar o carro mais leve. Claro que este ícone esportivo teria de usar freios especiais, confeccionados em carbono e cerâmica. Externamente, o Z/28 chama a atenção pelas quatro saídas de escapamento na traseira, as rodas com novo desenho e pintura e, claro, o logotipo do nome na parte de trás. A primeira versão do carro foi apresentada no fim dos anos 60, ganhando destaque nas pistas.
            De acordo com a Chevrolet, o Z/28 foi planejado para alta performance nas ruas, sendo o Camaro mais veloz já produzido até hoje. Mantendo a esportividade, o esportivo é oferecido apenas com transmissão manual e o ar-condicionado é apenas opcional.
 
Conceito
Camaro Bumblebee
            Além desses modelos, o Camaro pode se dar ao luxo de ser estrela de cinema. O carrão é presença carimbada na série Transformers e o próprio diretor Michael Bay apresentou recentemente um modelo reestilizado, chamado de Bumblebee. Mas, como bem lembrou o leitor do Marconews, Hendrick Felipe, o carro ainda é só um conceito e pode nem tornar-se realidade. Por enquanto, vamos ter de nos contentar com os modelos “normais”. Vida dura essa, não?

quarta-feira, 17 de julho de 2013

Novo Lamborghini é criação de brasileiro

Carro mantém tradição de inovação da marca
O novo lançamento da Lamborghini, o modelo Egoista (foto) nasceu do traço do brasileiro Walter de Silva. Nascido na Itália, Silva, de 62 anos, começou sua carreira na década de 70, no Centro de Estilo da Fiat. Entre os anos 70 e 80 atuou também no IDEA, conhecido instituto de Design de Turin; passou também pela Alfa Romeo, SEAT e desde 2007 é diretor de design do Grupo VW. Isto quer dizer que, na prática, todo carro da Volks tem o desenho desenvolvido pelo brasileiro e sua equipe.
Na apresentação do Egoista, em Santa Ágata Bolognese, Silva destacou o fato de ser brasileiro, mas lembrou que corre em suas veias sangue italiano e que é muito ligado à marca Lamborghini. Para homenagear os 50 anos da scuderia nascida do sonho de Ferrucio LamborgHini, o designer concedeu um carro que “sublinhasse o fato de que os carros da Lamborghini sempre terem nascido com paixão, mais com o coração do que a cabeça”, disse Silva.
Segundo ele, "é um veículo apenas para uma pessoa, para que se possa divertir e expressar ao máximo a sua personalidade. Representa o hedonismo levado ao extremo, é um veículo sem compromissos, numa palavra: Egoista".
Com um motor de 10 cilindros (V10), com 5,2 litros, a despejar uma potência de 600 cavalos, o Lamborghini Egoista foi inspirado no helicóptero Apache. Concebido a partir de materiais leves, como alumínio e fibra de carbono, o veículo tem zonas exclusivas que não se podem pisar, devidamente assinaladas como nos aviões. O paralelo com o mundo da aeronáutica não termina aqui; a carroçaria foi produzida num material especial antirradar e o para brisas é antirreflexo com uma graduação em laranja. As entradas de ar também foram realizadas a partir de material antirradar, planas e muito abertas, embelezadas com raios de fibra de carbono para melhorar a sua aerodinâmica.
 

 
Top Gun
O interior lembra um avião de caça
O interior do Egoista fará o feliz proprietário sentir-se como um piloto de jato, como se fosse Tom Cruise no filme Top Gun. Aliás, o ator americano, do jeito que gosta de velocidade e aventura, certamente é um sério candidato a comprar um carro desses.
O interior do cockpit é extremamente racional, com uma funcionalidade levada ao extremo. Está equipado com um banco de competição e um cinto de segurança de quatro pontos, cada um com uma tira numa cor diferente, os airbags e um mínimo de instrumentos em que se destaca um display head-up, típico dos caças a jato. Para sair do veículo, o condutor deve retirar o volante e colocá-la sobre o painel de instrumentos (como fazem os pilotos de F-1), abrir uma cobertura através de um comando eletrônico que se erguerá desde o banco. Depois e ao pressionar um botão no lado esquerdo um mecanismo faz rodar uma estrutura e a zona das pernas do condutor para sair do veículo. Nesta caso também pode pressionar para baixo os pés e levantar-se, à semelhança de um Fórmula 1. Mesmo para sair do veículo, o Lamborghini Egoista é mais recomendado para um piloto do que a um condutor “normal”, para um verdadeiro “top gun”. O Egoista possui, na opinião de Walter De Silva, todos os critérios dos produtos da Lamborghini. "É como se Ferruccio Lamborghini estivesse dizendo: vou colocar o motor na parte de trás, não quero um passageiro. Eu quero isso para mim e imaginar como ele seria. É um veículo apaixonante e a denominação Egoista enquadra-se na perfeição”, finalizou Walter de Silva.

terça-feira, 16 de julho de 2013

Lamborghini prepara novidades


Montadora Italiana é conhecida por modelos superesportivos
 
 
O Urus será o primeiro SUV da marca
Chegar aos 50 anos cheio de novidades e andando rápido (muito rápido) não é para qualquer carro. Ícone dos automóveis superesportivos e principal rival da Ferrari, a Lamborghini realizou evento recentemente para comemorar as cinco décadas de existência da montadora. Na oportunidade, apresentou dois novos modelos de sonho.
            Com propostas diferentes e inovadoras, a marca, que nasceu do descontentamento do empresário italiano Ferrucio Lamborghini com os esportivos da década de 60, entre eles a Ferrari, investe em novos segmentos e clientes.
            O primeiro carro a ser apresentado ainda é um conceito, mas tem tudo para agradar aos apaixonados por supercarros: O Lamborghini Urus, será comercializado, mas só em 2017 em países das Américas, Oriente Médio, além da Rússia. O Urus apresentado vem equipado com trem de força V12 de 600 cavalos de potência. O SUV da marca italiana, gerida pelo Grupo Volkswagen, terá como concorrentes, o Porsche Cayenne, Maserati Kubang e Audi Q7. Curiosamente, a Audi e a Porsche também pertencem ao grupo VW.
Design arrojado é tradição
 
Antes só...
            O nome do carro já diz tudo: Egoista. Baseado no desenho de aviões de caça, o supercarro tem lugar apenas para o motorista (ou seja, nem dá para paquerar) e é movido por um motor V10 de 600 cavalos.
            Segundo a montadora, é possível notar detalhes de aeronaves por dentro do veículo e também por fora com traços e pintura na cor cinza, assim como é feito em aviões de combate. Se com pintura “normal” e com passageiro os modelos da marca já voam baixo no asfalto, imagina agora com a inspiração de um avião a jato! Mais uma ousadia da Lamborghini.
Lamborghini Egoista
 

domingo, 14 de julho de 2013

Camaro ganha novo visual

Carrão da Chevrolet está de cara nova
 
Camaro Bumblebee
            O segundo semestre deste ano nem bem começou e a indústria automobilística, que encerrou a primeira metade de 2013 com um desempenho acima do esperado, prepara algumas surpresas para os consumidores. Lançamentos que vão encher os olhos de muita gente. Alguns dos novos veículos que devem dar as caras por aqui foram apresentados no salão de Buenos Aires.
            Mas há modelos que, além de encher os olhos, darão asas à imaginação dos motoristas. É o caso do novo Camaro Bumblebee, carro que é um dos protagonistas da série Transformers, franquia de grande sucesso no cinema, já no quarto longa-metragem, com previsão de estreia para o ano que vem.
            A apresentação do carrão aconteceu no começo deste mês e foi feita pelo próprio diretor da série, Michael Bay. Ainda classificado como conceito, o novo Camaro foi reestilizado pela Chevrolet, mas continua amarelo.
            Em maio, Bay já havia mostrado outros carros que aparecerão no filme, incluindo uma versão "retrô" do Bumblebee, baseada no Camaro SS de 1967. O novo Camaro tem tudo para manter e ampliar o sucesso do modelo atual, que caiu no gosto de muitos brasileiros e ganhou até uma música de uma dupla sertaneja, também com muito sucesso.
Modelo atual: qual Camaro você prefere?
            Mas enquanto o novo carrão da Chevrolet não se torna uma realidade, os brasileiros poderão apreciar o novo Honda Accord, que também chega de cara nova e duas opções de motor: 2.4 e 3.5 V6. Com preços a partir de R$ 119,9 mil, a nona geração do Accord é importada dos EUA e esbanja tecnologia. A montadora informou que o modelo já começou a ser vendido.
 
Plástica
O novo Accord passou por uma verdadeira cirurgia plástica e foi totalmente redesenhado: faróis, grade, capô, rodas, para-choques e lanternas, que agora são compostas por LEDs. O interior também foi refeito, e ganhou luzes coloridas de iluminação e tela “full-color” de 8 polegadas. Entre os equipamentos de destaque, estão viva voz Bluetooth, sistema de som com 360W e subwoofer, assistente de subida em ladeiras HSA (Hill Start Assist), sistema ECON (que privilegia a economia), sistema inteligente de abertura das portas e acionamento da ignição sem chave, seis airbags, entre outros.
Novo Honda Accord
Na questão mecânica, a Honda evidencia o subchassi composto por aço e alumínio, que segundo a empresa proporciona uma estrutura mais segura em caso de colisão frontal. A suspensão dianteira do tipo McPherson passa a ter coxim ativo, que melhora a estabilidade e reduz o ruído e a vibração na cabine, ainda de acordo com a Honda.
 Motorização
O motor 2.4 16V de quatro cilindros rende 175 cavalos, enquanto o V6 3.5 gera 280 cv. Ambos acompanham transmissão automática – de cinco marchas no 2.4 e seis no 3.5. O modelo mais potente ainda traz a tecnologia, batizada de Administração de Cilindro Variável (VCM), que ativa e desativa cilindros conforme a demanda – dependendo do modo de condução, o Accord pode rodar com apenas três cilindros.
A Honda vende o novo Accord no Brasil em branco, prata e preto. A garantia é de três anos, sem limite de quilometragem.
Veja matéria completa na edição de Agosto da revista Hadar

terça-feira, 9 de julho de 2013

Padre Itapetiningano participa de missa com o Papa


André Luiz Garcia é apresentador da TV Século 21
O padre itapetiningano André Luiz Garcia (foto), deverá participar de missa celebrada pelo Papa Francisco na Catedral de São Sebastião, no Rio de Janeiro, no próximo dia 27, sábado. O evento é restrito a bispos e religiosos. O convite ao padre foi feito através de e-mail enviado pelo comitê organizador da Jornada Mundial da Juventude.
            A informação foi divulgada por Garcia, que atualmente reside em Sarapuí e é apresentador da TV Século 21, em sua página no Facebook. “Estou felicíssimo”, afirmou o padre. Segundo o e-mail divulgado, os organizadores da JMJ escolheram, entre os peregrinos, “alguns padres e diáconos para estar presente nesta celebração, dado que não podemos convidar a todos”.
 
Preparação
Seguindo orientação da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), a Diocese de Itapetininga realizará, na semana que precede a JMJ, uma semana missionária, entre os dias 16 e 19 de julho, nas cinco regiões da diocese. “nós escolhemos uma paróquia nessas regiões para sediar essas missões dos jovens”, explica o bispo diocesano, Dom Gorgônio Alves da Encarnação Neto. “Na região de Tatuí a sede será a Paroquia de Santa Cruz, a região norte será sediada em Guareí, oeste em Paranapanema, e a região sul terá sua sede em Sarapuí”, completou Dom Gorgônio. Ele espera a participação de pelo menos 10 jovens de cada paróquia (a diocese possui 36 paróquias).
Em Itapetininga, a semana missionária será sediada na Catedral de Nossa Senhora dos Prazeres. Na programação do evento, durante os três dias, haverá orações pela manhã, incluindo o terço, e muita reflexão e espiritualidade, além de palestras. Na parte da tarde haverá visitas à comunidade, para que os jovens tenham contato com as famílias. À noite, haverá missa a partir das 19h30, seguida de um evento cultural. A diocese estava se preparando até para receber missionários de outros países que viessem para a jornada, mas isso tornou-se inviável. “Seria muito difícil uma pessoa ficar aqui e daqui ir para o Rio. Além disso, a maioria dos viajantes chegará de avião, indo diretor para o Rio de Janeiro”, observou Dom Gorgônio.
Antes da JMJ, a diocese realiza o Dia Nacional da Juventude (20 de julho), com grande celebração na catedral, a partir das 16 horas, seguida de caminhada até o Horto Religioso, em Vila Aparecida, onde acontece um show religioso. A cerimônia marca também os 15 anos de instalação da diocese. No dia 22, os peregrinos seguem viagem para a Jornada Mundial da Juventude.
 
Importância
 Dom Gorgônio afirma que a JMJ será muito importante para o país, pois além de ajudar na mobilização dos jovens, atrairá recursos para o Brasil. “Fala-se muito no custo da jornada para o país, mas os turistas deixam mais do que foi gasto”, afirma o bispo, que destaca a seriedade na preparação do evento. “Nunca vi uma coisa tão organizada, com muita orientação, com monitores e cadastramento. Ninguém vai aleatoriamente. Há bolsões de estacionamento para ônibus credenciados e transporte público e caminhada (14 km) até o local do evento”, disse o religioso, lembrando que esta caminhada já ocorreu em ouras edições do jornada.
 
Papa
“O Papa Francisco estará dia 24 em Aparecida (SP), para celebrar missa as 10h30, na Basílica”, informou Dom Gorgônio, ressaltando que o pontífice sairá de helicóptero do Rio de Janeiro. Após a missa, Francisco percorrerá um trecho de aproximadamente três quilômetros, utilizando o papamóvel, para almoçar em um seminário. “Será uma oportunidade única para quem quiser ver o Papa, pois ele estará bem perto do povo”, observou o bispo itapetiningano. Depois do almoço, Francisco descansará um pouco  e tomará o helicóptero de volta para o Rio no final da tarde.
Entre os temas que a JMJ abordará está “o convite ao jovem para ser missionário de Jesus, agente transformador do mundo, transmitindo valores como ética, dignidade e o valor da vida, jovem sem perspectiva no mundo hoje, precisa acolher as palavras de Cristo”, declarou Dom Gorgônio.
Apesar de ser um evento predominantemente católico, a JMJ é aberta a todos, independente da religião e ideologia. “Haverá momentos e atividades para todos: os católicos podem se confessar e comungar; já quem não é pode visitar alguma das oficinas temáticas que estarão no local”, finalizou o bispo.
 
 
Jornada é antecipada
A Jornada Mundial da Juventude acontece a cada três anos. Para não coincidir com a Copa do Mundo de 2014, a edição no Rio de Janeiro foi antecipada para 2013, e acontecerá de 23 a 28 de julho. Nos anos intermediários, as Jornadas são vividas em âmbito diocesano, chamada Jornada Diocesana da Juventude, no Domingo de Ramos, quando se comemora também o Dia Mundial da Juventude.
 
Símbolos
Os símbolos da Jornada são a Cruz Peregrina e o Ícone de Nossa Senhora. A cruz de madeira de 3,8 m foi construída no Vaticano e colocada como símbolo da fé católica. Em 1984, João Paulo II entregou a Cruz de Cristo à juventude e pediu que os jovens a levassem adiante como forma de evangelizar. Em 2003, o Papa deu o segundo símbolo de fé aos jovens, o ícone de Nossa Senhora. No Brasil, eles passaram por mais de 250 dioceses, hospitais, escolas, presídios e comunidades indígenas.
 
Programação
            A JMJ começa com Missa de Abertura, que neste ano será celebrada pelo arcebispo do Rio de Janeiro, Dom Orani Tempesta, a quem caberá dar as boas-vindas aos peregrinos.
            A Cerimônia de Acolhida, que acontece na praia de Copacabana, no dia 25 (quinta-feira) marca o primeiro encontro do Papa com os jovens. Ele faz um pronunciamento aos peregrinos e a cidade sede dá as boas vindas ao pontífice.
            A jornada terá ainda uma via Sacra, que lembrará a Paixão e Morte de Cristo, vigília, que reunirá todos os participantes nos dias 27 e 28. Depois de apresentações artísticas e shows, Francisco faz um passeio de papamóvel entre os jovens e preside a oração.
 
Missa de Envio
Representa o envio de jovens ao mundo, atendendo ao lema. A ideia é mostrar que a Jornada não acaba. O peregrino volta para casa para anunciar o evangelho até a próxima edição. Os símbolos da JMJ são entregues aos jovens da próxima sede.
 
Catequeses
São momentos de formação religiosa que acontecem pela manhã, durante três dias seguidos. São presididas por bispos de diversos países. A Região Metropolitana do Rio vai ter 300 pontos de catequeses nos dias 24, 25 e 26 de julho.
 
Festival da Juventude
Reúne todos os atos culturais, como exposições, concertos, recitais, filmes, shows, dança, teatro, momentos de partilha propostos pelas conferências episcopais ou por movimentos, associações, pastorais, comunidades de leigos e congregações religiosas.
 
Feira Vocacional
O objetivo é que congregações e comunidades católicas despertem novas vocações religiosas entre os jovens. O evento vai acontecer na Quinta da Boa Vista, na Zona Norte. Serão 130 expositores, 150 estandes, 50 confessionários, palcos para shows, oficinas de palestras e uma tenda de adoração ao Santíssimo Sacramento.
 
História da Jornada
Em 1984 foi celebrado na Praça São Pedro, no Vaticano, o Encontro Internacional da Juventude com o Papa João Paulo II, por ocasião do Ano Santo da Redenção. Na ocasião, o Papa entregou aos jovens a Cruz que se tornaria um dos principais símbolos da JMJ, conhecida como a Cruz da Jornada ou Peregrina. O ano de 1985 foi declarado Ano Internacional da Juventude pelas Nações Unidas. Em março houve outro encontro internacional de jovens no Vaticano e no mesmo ano o Papa anunciou a instituição da Jornada Mundial da Juventude.
Todos os anos ela acontece em âmbito diocesano, celebrada no Domingo de Ramos e, com intervalos que podem variar entre dois e três anos, são feitos os grandes encontros internacionais. A Primeira em Roma, em 1986, depois Argentina, Espanha, e Polônia (país onde nasceu João Paulo II). Em 1995, a JMJ realizada em Manila, nas Filipinas, reuniu quatro milhões de participantes, o maior número

sábado, 6 de julho de 2013

Grupo preserva história da cidade através de fotos

Criado há um ano, o Itapetininga Através das Lentes tem 700 integrantes





Neste dia 6 de julho, o grupo Itapetininga Através das Lentes completa um ano de existência. De um começo tímido, com cerca de 10 integrantes - e com a modesta proposta de distrair as pessoas – o grupo possui hoje 725 participantes e construiu um importante e belo acervo fotográfico de Itapetininga, que pode ser visto em sua página no Facebook. Para o futuro, o IAL pretende realizar um grande concurso com exposição de fotografias. Um trabalho que pode contribuir e muito para a preservação da memória e da história da cidade. Saiba um pouco mais sobre o grupo com esta entrevista exclusiva com o fotógrafo e publicitário Fábio Molina, fundador e administrador do Itapetininga Através das Lentes.
            Molina explica que “a ideia do grupo surgiu em 6 de julho de 2012. Eu estava passando por uma fase não muito boa, e por isso precisava de algo para distrair a cabeça além do trabalho”. O publicitário conta que percebeu, então, a importância que Itapetininga tinha (e ainda tem) para seus habitantes e que muitas pessoas tinha uma arma poderosa nas mãos: a máquina fotográfica. “Resolvi criar o grupo para poder fotografar e mostrar ao mundo as maravilhas que temos em nossa cidade. No principio foi criado apenas para distrair, um passatempo, comecei a postar as fotos que tirava durante a semana, convidei alguns amigos, eram 8 ou 9 e com o tempo muitas pessoas se interessaram em participar. atualmente temos 725 membros”, diz o fundador do grupo, revelando que, diariamente, entre cinco e sete pessoas pedem para entrar no grupo. “Qualquer pessoa pode participar, desde que cumpra com as poucas regras que são exigidas no grupo”, ressalta o publicitário e fotógrafo.
 
Foco e tema
            Molina afirma que o IAL possui um foco e seu objetivo é exibir somente fotos de Itapetininga. “Não pode conter foto que venha a ofender a imagem de nossa cidade ou de terceiros e não é permitido postagem de fotos de modelos no grupo, somente locais, abrimos exceção para algum acontecimento extraordinário”. É o caso, por exemplo, das recentes manifestações e protestos que aconteceram em várias cidades do País, incluindo Itapetininga.
Ele revela que o tema a ser fotografado é livre, “contando que envolva no plano principal da foto algum lugar de Itapetininga, arvore, paisagem, prédio histórico ou moderno atual, rua. Só não é permitido fazer propaganda de empresa dentro do grupo. Se for considerada propaganda (a foto) será excluída imediatamente e a pessoa será avisada sobre as regras, e se voltar a fazê-lo será banida do grupo”.
 
Acervo
Antigo casarão da família Antunes Alves
Com um acervo de cerca de 500 fotos, o material mostra que os integrantes têm talento e bons olhos para fotografar. Além de belas paisagens, há registros de importância histórica e urbanística, como o casarão da família Antunes Alves (já demolido) e mais recentemente o casarão da família Rezende na rua Quintino Bocaiúva. “Todas as fotos têm seu destaque particular; são feitas por amantes da fotografia que fazem pelo amor à arte”, diz Fábio Molina.
“O grupo tem apenas registro de locais e lugares, não foi registrado até o momento o cotidiano de pessoas, registramos apenas algum cidadão que é muito conhecido pela população, pessoas simples e normais, sem qualquer interesse político ou financeiro”, ressalta Molina.
 
Planos
            Para o futuro, o fundador do IAL pretende realizar vários eventos, entre eles:  1º Concurso Fotográfico “ITAPETININGA ATRAVÉS DAS LENTES”, 1ª Exposição fotográfica “ITAPETININGA ATRAVÉS DAS LENTES” (fotos que mais se destacarem no concurso) e o lançamento de um livro.
“Uma boa foto é feita através do olhar de que está fotografando, do sentimento, da paixão por aquilo que faz, não precisa ter um equipamento caríssimo para fazer fotos para o grupo Itapetininga Através das Lentes, pode ser pelo celular mesmo, basta apenas olhar sempre de um ângulo diferente, tem que enxergar arte, fotografia onde muitos vêem apenas galhos secos. O que faz uma boa fotografia é o amor pela fotografia”, finaliza Fábio Molina,
 
Texto: Marco Antonio
Fotos: Grupo IAL