terça-feira, 31 de março de 2015

Paixão de Cristo terá três apresentações na cidade


Espetáculo terá 70 atores e as apresentações são gratuitas

 
O Drama da Paixão e morte de Cristo será novamente encenado em Itapetininga. A tradicional apresentação, que faz parte do calendário cultural e turístico da cidade, será encenada este ano na Avenida Peixoto Gomide, em grande palco com efeitos técnicos e visuais, um elenco de cerca de 70 atores e uma grande equipe técnica. Segundo a Prefeitura, os preparativos estão a todo vapor. O espetáculo acontece nos dias 3, 4 e 5 de abril, à partir das 20h30, na Avenida Peixoto Gomide. A entrada é gratuita.
A realização é da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo, em parceria com o grupo teatro ARCOIRIS, a direção de elenco é de Beato Ten Prenafeta, conceituado profissional que atua em São Paulo como Diretor e técnico de cenário e iluminação e a direção geral é de Antonio Luiz Pedroso Balint.
A montagem deste ano terá arquibancada para 800 pessoas, de acordo com a Prefeitura. Além disso, o espetáculo contará com recursos técnicos modernos, como telão de LED, onde o público poderá observar detalhes das cenas que se desenvolvem no palco. Grandes surpresas estão sendo preparadas para a população, conforme nota da administração municipal. A montagem local da Paixão de Cristo é considerada uma grande oportunidade de mostrar que Itapetininga possui pessoas com talento e capacidade de realizar espetáculos teatrais de qualidade.
            Segundo o site Climatempo, não há previsão de chuva para os dias do espetáculo; as noites devem ser de poucas nuvens e temperatura agradável.

segunda-feira, 30 de março de 2015

Um país democrático e estável


Manifestações pró e contra o governo tomam conta das ruas

 
Protesto pelas ruas de Itapetininga em 2015
 
            As manifestações que tomaram as ruas do Brasil recentemente mostram que o país, embora dividido entre os que apoiam e os que criticam o governo, está estável e equilibrado, enfrentando até com certa tranquilidade uma profunda crise política (alavancada pelo escândalo da Petrobras) e uma crise econômica movida pela alta dos juros, dos combustíveis, das contas de água e energia, da desvalorização do real frente ao dólar e pela inflação que insiste em assombrar os brasileiros.
            Não resta dúvida de que o Brasil avançou muito nos últimos anos, e que uma parte significativa da população saiu da linha da pobreza. A questão a ser discutida é o preço que nós, brasileiros, vamos pagar por isso. E as contas começaram a chegar!! Seja por razões políticas ou outros interesses, o governo incentivou o consumo, estimulou o crédito fácil para quase todo mundo e ainda reduziu impostos para quem quisesse comprar um carro novo ou um eletrodoméstico.
            A principal questão aqui não é se a pessoa tem condições de comprar um carro financiado, mas sim se consegue arcar com as prestações e outras despesas, como IPVA, licenciamento, combustível e manutenção do veículo. Muitos se esquecem disso e no afã de adquirir um carro zero, acabam perdendo o controle da situação e têm o carro tomado por falta de pagamento. Recente levantamento divulgado por uma emissora de TV mostra que quase metade dos brasileiros maiores de 18 anos estão endividados. Este é um dado preocupante.
            E a situação tende a piorar, agora que o governo deve apertar o cinto e reduzir investimentos, tendo em vista o necessário ajuste fiscal. E como sempre acontece, quando o bolso do homem é atacado, ele grita e protesta.
            Indignados com o escândalo da Petrobrás, milhões de brasileiros saíram as ruas para dar um recado muito claro ao governo e aos políticos em geral: está na hora de mudanças. E a enorme diferença entre o número de insatisfeitos (mais de dois milhões), em relação aos que foram às ruas apoiar (200 mil, segundo dados da Polícia Militar), mostram que o país está dividido, mas a grande maioria está insatisfeita.
            E o governo parece ter ouvido a voz das ruas. No dia seguinte aos protestos, a presidente Dilma concedeu entrevista coletiva e destacou que democracia é assim mesmo, é conviver com as diferenças e as críticas. “Não pode haver unanimidade”, destacou Dilma, ressaltando que a unanimidade só existe em um tipo de regime, dando a entender que seria a ditadura, onde não há liberdade de expressão.
            Vale lembrar que, há mais de 30 anos, o Brasil inteiro se mobilizou em torno de uma causa comum: a volta da eleição direta para Presidente da República, através da emenda apresentada pelo então jovem deputado Dante de Oliveira, em 1984. A emenda acabou não passando, mas o movimento Diretas-já tornou-se a maior mobilização popular e pacífica do país, até os protestos deste mês de março. Lembrando ainda que é em março também que se realizou o Golpe de 1964, que instalou a Ditadura em nosso país.
 
Mês tem história
Março parece ser o mês em que as coisas acontecem no Brasil. Coincidência ou obra do destino, a primeira manifestação pelas Diretas foi em 31 de março de 1984, no município pernambucano de Abreu e Lima, que havia sido emancipado na época. A manifestação reuniu cerca de 100 pessoas e foi organizada pelo PMDB. Além da data coincidir com o golpe militar que iniciou a ditadura no Brasil, Abreu e Lima também é o nome da refinaria que a Petrobrás está construindo em Pernambuco e onde há denúncias de superfaturamento. Da previsão inicial de US$ 2,5 bilhões de investimentos, quando no inicio da obra, em 2005, a refinaria já custou aos cofres do país US$ 17,5 bi e a perspectiva é que, ao final da obra, tenham sido investidos US$ 20 bilhões, ou mais de R$ 60 bilhões. As denúncias foram feitas por Paulo Roberto Costa, ex-diretor de Abastecimento da Petrobrás e ex-membro do Conselho de Administração da refinaria.
Voltando à história, quem viveu os anos 80 e agora está perto dos 50 anos, ou já passou dessa idade, deve se lembrar de muitos fatos que agora estão para completar 30 anos. Até parece que foi ontem que o senador alagoano Teotônio Vilela lançou a ideia de um movimento pelas eleições diretas para presidente da República, no programa Canal Livre, da Rede Bandeirantes. Mas isso foi em 1983! Um ano em que a inflação era de mais de 230%!!!

Passeata no centro de São Paulo, em abril de 1984
Também parece que foi ontem que o movimento, até certo ponto considerado sem expressão por parte da imprensa, reuniu mais de 1,5 milhão de pessoas no Vale do Anhangabaú, em São Paulo, no dia 25 de janeiro de 1984. O ato foi liderado por Tancredo Neves, Franco Montoro, Orestes Quércia, Fernando Henrique Cardoso, Mário Covas, Luiz Inácio Lula da Silva e Pedro Simon, além de artistas e intelectuais engajados pela causa.
Mas, como já estamos chegando no mês de Abril, não podemos deixar de registrar que este mês também tem sua importância para a história do Brasil. Além das comemorações do Dia do Índio (19) e Dia de Tiradentes (21) e Descobrimento do Brasil (22), neste ano completam-se 30 anos da morte de Tancredo Neves, ocorrida no dia 21 de abril de 1985. Mais uma coincidência (ou não?) mesmo dia da execução de Tiradentes, mártir da Inconfidência Mineira e um herói nacional.
Eleito pelo Colégio Eleitoral, Tancredo morreu antes de tomar posse. Sua agonia, que durou 38 dias, foi acompanhada por toda a nação. Sua morte chocou a todos.
Quem teve a sorte de acompanhar aquele movimento pela volta das diretas – e a história do país até o momento – sabe que a democracia brasileira está consolidada. O país tem seus problemas e muita coisa ainda precisa ser feita, melhorada, refeita ou até mesmo desfeita, mas não há preço que pague o fato de vivermos em um país livre, onde podemos e devemos mostrar nossa opinião.
            Ou será que alguém gostaria de viver em um país fechado, onde até o corte de cabelos dos homens, ou o uso de barba, é definido e exigido pelas autoridades? A democracia pode não ser perfeita (ninguém é), mas é sem dúvida o modelo de governo que garante mais liberdade e poder para o povo. E afinal de contas, o país é do povo! Pensem nisso!
 
Texto: Marco Antônio
Fotos: Jorge Singh (passeata em São Paulo)/Mike Adas (protestos 2015)

domingo, 29 de março de 2015

O charme, a garra e o alto astral do vôlei adaptado


Atletas falam da paixão pelo esporte e da emoção de representar a cidade

 
Time tem grande expectativa com relação ao JORI
            Quem pensa que o vôlei feminino adaptado para a 3ª idade é um joguinho de “comadres”, por assim dizer, pode se preparar para mudar de ideia. E não só quanto ao vôlei, mas também em relação aos outros esportes. Em Agosto, Itapetininga sediará mais uma edição dos Jogos Regionais do Idoso (JORI), evento que deverá receber atletas de mais de 40 cidades.
            Mesmo enfrentando muitas dificuldades, como a falta de estrutura para treinar e o apoio de poucas empresas locais, o vôlei feminino adaptado para a 3ª idade tem tudo para repetir – até melhorar – a atuação da edição anterior dos jogos, quando as atletas conquistaram o segundo lugar na modalidade.
            Para alcançar este objetivo, as “meninas” treinam duro. “Levamos a sério mesmo; disputamos até para conquistar um lugar no time”, garante Creusa Aparecida Pinto, de 63 anos. Mas a rivalidade e as rusgas terminam na quadra; fora dela, a convivência social e a amizade continuam. “Sempre nos reunimos nos aniversários”, conta Elenice Mendes Tácia, 67, que pratica o esporte há pelo menos 15 anos.
            “Aqui não há panelinha e a gente joga com garra mesmo. Os jogos são emocionantes e até quem tem um problema ou outro de saúde, devido à idade, esquece disso na hora do jogo, principalmente se for do JORI”, afirma Tânia Moreno, de 64 anos. Segundo ela, um exemplo de que o esporte é levado a sério é o fato de que os treinadores cobram resultados e empenho dos atletas, como ocorre em times mais jovens. “E quando você enfrenta um time forte, de qualidade, o jogo fica ainda mais disputado”, observa Tânia. “Muitas vezes, quem está de fora pode achar que o jogo tem um ritmo mais lento, mas para quem está na quadra é pura emoção, adrenalina”, acrescenta a professora aposentada, que nunca havia praticado esporte – exceto queimada – antes de entrar para o vôlei adaptado.
 
Das salas de aula para as quadras
            Creusa Pinto lembra que tudo começou há mais de 15 anos, através de uma iniciativa do Sesi, com o professor Alencar e o técnico Inaldo. No começo, era a partir de 50 anos, depois mudou para 60. “Eram professoras que saíram da sala de aula para a quadra, mas nunca tinham praticado esporte e não sabiam o que fazer”, disse Creusa. Diferentemente de algumas de suas companheiras, ela conta que sempre praticou esporte: “eu corria forte os 100 metros e jogava basquete”. Hoje, além do vôlei, ela adora dançar. “Ficarei feliz se morrer na quadra ou dançando”.
 
Poucas diferenças
            Segundo as jogadoras, a modalidade adaptada tem poucas diferenças em relação ao esporte tradicional. “O número de atletas na quadra é igual e o posicionamento também, mas nós podemos pegar a bola com a mão e passar para a companheira do time. Além disso, são três sets de 15 minutos cada e a rede é posicionada um pouco mais baixa”, revela Tânia Moreno. Ela destaca, porém, que em partidas muito disputadas o set pode se prolongar e chegar a até 20 minutos.
            Outras diferenças são: quase ninguém dá manchete (só quem já jogou vôlei), o saque é feito lançando-se a bola, e não batendo nela, não há cortada e ninguém pula no bloqueio. “Outro item é que, no terceiro toque, nós pegamos a bola e colocamos na mão da atacante”, explica Tânia. Creusa Pinto esclarece que “quem da manchete e são ex-jogadoras de vôlei na fase de campeonatos colegiais são: eu, Tereza Bernadete, Marta Lotfi e a Luiza, do time de 70 anos”.
 
Dificuldades
            Apesar do bom desempenho em competições, tanto nos Jogos Regionais quanto na Liga de Vôlei Adaptado de Itapetininga e Região, o time enfrenta muitas dificuldades, como a falta de estrutura e patrocínio. “Representamos a cidade, mas são poucas empresas que nos apoiam: são casos isolados, que acontecem porque os integrantes do time vão atrás das firmas”, comenta Tânia. As atletas também esperam a reabertura do ginásio Mário Carlos o mais breve possível, para que possam retomar a rotina de três treinos semanais. Como o ginásio está fechado, o time está treinando duas vezes por semana, no Ayrton Senna, em Vila Barth.
            “Falta estrutura; a terceira idade aqui não é uma maravilha. Se os jovens vão atrás de seus direitos, nós também. Os velhinhos também mordem”, disse Creusa, acrescentando que o time chegou a custear uniformes do próprio bolso. “Em Santos, chegamos a ficar sem condução”, afirmou a atleta. “O engraçado é que, quando fomos para a final, aí apareceu o pessoal da Prefeitura; até descobriram o horário do jogo”, declara Tânia.
            As mulheres reconhecem que os problemas atingem também outros esportes, mas esperam que a situação melhore com a realização dos Jogos do Idoso. “O ambiente é ótimo! Participar dos Jogos é a sensação mais gostosa que existe; fazemos amizades e conhecemos todo mundo. Até dormimos no chão, como nos jogos dos jovens”, afirmou Tânia.
 
Benefícios
            Além de resgatar valores como amizade, companheirismo e lealdade, a prática esportiva traz benefícios à saúde das atletas. “Não tomo remédio para nada”, diz Tânia, revelando que dorme muito melhor depois do treino e que sente falta do esporte quando fica muito tempo sem jogar ou treinar.
            “O esporte é tão gostoso, mas você tem de saber seus limites. Aqui ninguém tem a saúde 100% e muito acham que precisam estar 100% para jogar, mas não é assim”, disse Tânia. Para as jogadoras, um momento marcante na trajetória do time foi a participação no torneio comemorativo aos 100 anos da imigração japonesa no Brasil, realizado em 2008. Para os JORI que acontecerão em Itapetininga, a expectativa do time, treinado pelo técnico José Nunes Júnior, é grande.
 
JORI
JORI 2014
            Programados para o próximo mês de Abril, os Jogos Regionais do Idoso (JORI) foram transferidos para Agosto. De acordo com a Secretaria de Esportes e Lazer, o evento ocorrerá no período de 05 a 09 de Agosto,, com abertura programada para o dia 6, no Ginásio Ayrton Senna da Silva, em Vila Barth. A nova data foi confirmada pelo Governo do Estado de São Paulo, em publicação no Diário Oficial do último dia 20. O evento esportivo estava previsto para ser realizado, inicialmente, entre os dias 08 e 12 de Abril, mas houve mudança por remanejamento administrativo. O JORI visa promover a integração do idoso na sociedade por meio de atividades físicas e desportivas, tendo papel fundamental  na valorização, promoção da saúde e bem-estar dos mesmos. Em Itapetininga, os participantes com idade mínima de 60 anos estarão disputando as seguintes  modalidades: Atletismo, Bocha, Buraco, Coreografia, Damas, Dança de Salão, Dominó, Malha, Natação, Tênis, Tênis de Mesa, Truco, Voleibol e Xadrez. A previsão é de que duas mil pessoas, entre atletas e dirigentes, estejam envolvidas durante a competição, destinadas aos Municípios que compõem a DERL-Delegacia Regional de Esporte e Lazer de Sorocaba. Os Jogos Regionais do Idoso é uma promoção conjunta do Fundo Social de Solidariedade do Estado de São Paulo, Secretaria Estadual de Esporte, Lazer e Juventude, Fundo Social de Solidariedade de Itapetininga e Secretaria Municipal de Esporte a Lazer de Itapetininga. Esta é a 19ª edição dos jogos.
            Segundo o secretário Osmar Júnior, sua pasta também está pleiteando junto ao governo federal a liberação de recursos extras do Ministério do Esporte para serem utilizados na reforma geral do ginásio Ayrton Senna. Também está sendo negociada a criação de um time profissional de vôlei no município, com base na Lei Federal de Incentivo ao Esporte.
 
Fotos: Divina Maria/Divulgação

sábado, 28 de março de 2015

Mulheres e carros: uma paixão cada vez mais forte

Cada vez mais, as mulheres conquistam seu espaço neste território
Carro rebaixado também é assunto de mulher
 
            Se você é homem e ainda pensa que mulher na direção de um carro é algo parecido com a Penélope Charmosa, prepare-se para ter uma surpresa: a cada dia, as mulheres apaixonadas por carros conquistam espaço neste território que, para muitos, é predominantemente masculino.
            Exemplo disso é um grupo de mulheres que adora carro rebaixado. E não são os carros dos maridos ou namorados! São delas mesmas, modificados de acordo com o gosto da dona, mas com um ponto em comum: são veículos rebaixados, que quase tocam o chão.
            E as moças falam de pneus e rodas como quem entende do assunto. Até fundaram um grupo em São Paulo que reúne mulheres apaixonadas por carros rebaixados.
            Como qualquer modificação, as mudanças na suspensão devem ser feitas em oficinas especializadas, inclusive algumas já são administradas por mulheres, o que pode garantir maior tranquilidade à proprietária do veículo.
 
Opões
Beleza e paixão por carros andam juntas
            Existem algumas opções para deixar o veículo rebaixado, dependendo do gosta de cada uma. Algumas motoristas preferem a suspensão fixa, ou seja, rebaixam o carro e não mexem mais. Neste caso, um procedimento adotado pode ser a modificação do amortecedor, que passa a ter uma haste menor, com o prato do mesmo ficando um pouco mais baixo. Dessa forma, segundo profissionais, evita-se cortar muito a mola, visando com isso não tirar muito o conforto do carro. Aqui, a dica é evitar os buracos de nossas maltratadas ruas, assim como não andar muito rápido, pois velocidade, buraco e suspensão baixa não combinam.
            Outra opção é a suspensão a ar, o que proporciona que a proprietária regule a altura do carro conforme a situação de uso. Um detalhe importante é que, no caso de automóveis zero km, eles perdem a garantia de fábrica quando sofrem essas modificações; além disso, as mudanças precisam constar nos documentos do veículo. Finalmente, existem as suspensões reguláveis por meio de rosca, geralmente escolhida por quem não tem medo de por a mão na graxa, literalmente.
            E não se esqueça de verificar a legislação para saber qual o lmite permitido para você rebaixar seu carro (altura mínima de 10 cm em relação ao solo), ou uma diferença de 5 cm eem relação aos modelos hatch ou sedã, que saem de fábrica com 15 cm ou de 10 cm, no caso de utilitário esportivo, que possui 20 cm em relação ao solo. Veja mais matérias na edição deste mês da Revista Divina.
 
Foto: Reprodução Auto Esporte TV

quinta-feira, 26 de março de 2015

Orçamento da reforma do Mário Carlos aguarda aprovação


Licitação para obras do Ayrton Senna deve ocorrer dia 30 deste mês

 
Ginásio Mário Carlos: obras
estão paradas há três anos
            Paradas desde 2012, as obras de reforma do ginásio Mario Carlos (na área central) ainda não foram retomadas, passados mais de dois meses do anúncio oficial do retorno dos trabalhos, anunciado pelo Secretário de Esportes e Lazer, Osmar Thibes do Canto Júnior. O motivo, segundo e-mail encaminhado ao Marconews pela secretaria, através da assessoria de imprensa, é que o orçamento previsto para obra (R$1 milhão) “aguarda aprovação do custo previsto referente ao material e mão de obra para consequente abertura de processo licitatório”.
            Ainda segundo o e-mail, “este orçamento será apresentado pelo setor de projetos especiais da secretaria de governo ao senhor prefeito para aprovação”. Até o fechamento desta matéria, entretanto, o documento ainda não havia sido aprovado, segundo funcionários municipais consultados pelo blog. “Certamente houve atraso no orçamento pelo lamentável imprevisto na Sarutayá, bem como a ponte do carrito (rua Pedro Voss) que detém toda a atenção do prefeito”, observou Osmar Júnior.
 
Ayrton Senna
Ginásio Ayrton Senna
            Segundo a secretaria, está marcada para o próximo dia 30 deste mês, às 10 horas, a licitação “na modalidade Tomada de Preços para a contratação de empresa para executar os serviços de adequação, com fornecimento de mão de obra para a execução de obra de projeto técnico de prevenção e combate a incêndio”. Ainda conforme a nota, a primeira licitação, realizada no final de janeiro, não teve nenhuma proposta apresentada. Além da adequação do ginásio às normas de segurança, as obras em questão deverão contemplar a reformulação da iluminação do prédio.
 
Bocha

O campo de bocha ao lado do Ayrton Senna está passando por melhorias (foto), conforme informou a secretria. “As obras já foram iniciadas para a recuperação e reforma completa das canchas desde o dia 12 de Março. Previsão de término para a 1ª quinzena de Abril. Em breve a Secretaria também vai recuperar a cancha de Malha a ser entregue no mesmo período”.
O CIE – Centro de Iniciação ao Esporte – projeto realizado em parceria com o governo federal, já teve a obra licitada, sendo vencedora a empresa Alberto Couto Alves Brasil LTDA “já foi homologada e tem o prazo de 30 dias para o início das obras. Obra de R$ 4.599.863,62”, informou a secretaria. O valor é um pouco abaixo do previsto inicialmente: R$ 4,8 milhões.
 
JORI
Abertura dos Jogos em 2014
            Programados para o próximo mês de Abril, os Jogos Regionais do Idoso (JORI) foram transferidos para Agosto. De acordo com a Secretaria de Esportes e Lazer, o evento ocorrerá no período de 05 a 09 de Agosto,, com abertura programada para o dia 6, no Ginásio Ayrton Senna da Silva, em Vila Barth. A nova data foi confirmada pelo Governo do Estado de São Paulo, em publicação no Diário Oficial do último dia 20. O evento esportivo estava previsto para ser realizado, inicialmente, entre os dias 08 e 12 de Abril, mas houve mudança por remanejamento administrativo. O JORI visa promover a integração do idoso na sociedade por meio de atividades físicas e desportivas, tendo papel fundamental  na valorização, promoção da saúde e bem-estar dos mesmos. Em Itapetininga, os participantes com idade mínima de 60 anos estarão disputando as seguintes  modalidades: Atletismo, Bocha, Buraco, Coreografia, Damas, Dança de Salão, Dominó, Malha, Natação, Tênis, Tênis de Mesa, Truco, Voleibol e Xadrez. A previsão é de que duas mil pessoas, entre atletas e dirigentes, estejam envolvidas durante a competição, destinadas aos Municípios que compõem a DERL-Delegacia Regional de Esporte e Lazer de Sorocaba. Os Jogos Regionais do Idoso é uma promoção conjunta do Fundo Social de Solidariedade do Estado de São Paulo, Secretaria Estadual de Esporte, Lazer e Juventude, Fundo Social de Solidariedade de Itapetininga e Secretaria Municipal de Esporte a Lazer de Itapetininga. Esta é a 19ª edição dos jogos.
            Segundo o secretário Osmar Júnior, sua pasta também está pleiteando junto ao governo federal a liberação de recursos extras do Ministério do Esporte para serem utilizados na reforma geral do ginásio Ayrton Senna. Também está sendo negociada a criação de um time profissional de vôlei no município, com base na Lei Federal de Incentivo ao Esporte.
 
Fotos: Marco Antônio/Mike Adas/Divulgação

quarta-feira, 25 de março de 2015

Só para mulheres, mas todos devem ler

Revista traz assuntos voltados para o público feminino

 
Já está circulando a edição número 44 da revista Simplesmente Divina, trazendo uma série de assuntos e entrevistas, abordando assuntos como saúde, beleza, empreendedorismo, esporte, gastronomia e cultura.
São vários temas que não interessam somente às mulheres, mas a todos.
Nesta edição, você verá histórias de vida e superação que certamente emocionarão a todos! Revista Divina, simplesmente imperdível!

terça-feira, 24 de março de 2015

Justiça aceita denúncia no Caso SASS


Mais de 50 pessoas são acusadas de improbidade
e desvio de dinheiro público da saúde do município

 
Policiais apreendem documentos no HR em 2013
            A Justiça de Itapetininga aceitou, no último dia 17, o pedido para abertura da ação civil pública proposta pelo Ministério Público contra suspeitos de desviar dinheiro do Hospital Regional do município. Com a decisão do juiz Jairo Sampaio Incane Filho, 53 pessoas – entre políticos, empresários e servidores - e 45 empresas são acusadas de estar envolvidas no esquema por improbidade administrativa e desvio de dinheiro público. O processo judicial era tratado como segredo de justiça, mas os nomes foram revelados nesta ação civil pública. O valor da ação ultrapassa R$ 16,5 milhões. Além da ação civil, o GAECO (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado), também investiga o caso e apresentou denúncia em 2013 contra 61 pessoas na 2ª Vara Criminal de Itapetininga. A acusação e de formação de quadrilha, peculato e corrupção ativa e passiva, entre outros crimes. Neste episódio, o GAECO afirma que foram desviados do hospital mais de R$ 7 milhões. Batizada de Operação Atenas, a investigação teve início em 2011, após denúncias e ataques do então secretário de Saúde do município, Geraldo Macedo, feitas contra a administração de ex-prefeito Roberto Ramalho.
Com referência à Ação Civil Pública, os nomes dos envolvidos podem ser verificados no site do Tribunal de Justiça de São Paulo. Há acusados que respondem tanto na ação civil quanto na criminal. Quem quiser acessar os nomes basta acessar o endereço abaixo e clicar em “Partes do Processo”.
https://esaj.tjsp.jus.br/cpo/pg/show.do?processo.codigo=7H000100K0000&processo.foro=269 . Após abrir esse endereço click em cima de “ Partes do Processo”

esaj.tjsp.jus.br
 
Entenda o caso
Em dezembro de 2013, o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO) - Núcleo Sorocaba, ofereceu ao Juízo da 2ª Vara Criminal de Itapetininga, denúncia criminal contra 61 pessoas indiciadas na investigação conhecida como Operação Atenas e que apurou um intrincado esquema de desvio de dinheiro público do Hospital Regional de Itapetininga.
Segundo o GAECO, os denunciados são empresários, dirigentes de Organizações Sociais (OS) e de Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP), médicos e agentes públicos, dentre os quais ex-Prefeito de Itapetininga, atual Vice-Prefeito, e ex-Secretários municipais. Os crimes atribuídos aos envolvidos são de formação de quadrilha, fraudes em licitações, peculato e corrupção passiva e ativa.
A investigação concluiu que foram desviados pelo menos R$ 7,5 milhões da verba da saúde pública de Itapetininga, por meio das empresas dos denunciados. De acordo com a denúncia, os responsáveis pela OSCIP Sistema de Assistência Social e Saúde (SASS), que administrava o Hospital Regional de Itapetininga, montaram empresas de fachada que emitiam notas fiscais correspondentes a serviços nunca prestados ao Hospital. O esquema também envolvia a emissão de notas fiscais superfaturadas.
Na operação que desmantelou o esquema, em 2013, 10 pessoas foram presas e, em poder de uma delas, foi apreendida uma mala com R$ 1 milhão em dinheiro, além de dólares e euros. Há nos autos notícia do recebimento de suborno por parte de um parlamentar e de um Prefeito de município do interior, motivo pelo qual o GAECO – Núcleo Sorocaba remeteu à Procuradoria-Geral de Justiça cópia integral da investigação para as providências de sua alçada.
 
História
Geraldo Macedo discursa na Câmara
A investigação do MP começou após denúncia do ex-vice-prefeito e secretário de Saúde, Geraldo Macedo, no final de agosto de 2011. Na época, ele disparou o mais duro ataque já sofrido pela administração municipal, denunciando supostas irregularidades na gestão do Hospital Regional, gerenciado pelo SASS. Entre as denúncias, estava o repasse de recursos a empresas de consultoria, que pertenceriam a diretores do SASS. As denúncias foram feitas durante sessão do Legislativo local.
O então vice-prefeito relatou ainda desmandos administrativos que vinham ocorrendo em sua secretaria, com o objetivo de desgastá-lo politicamente. “Quando assumi a saúde, alguns amigos me disseram que o prefeito queria me queimar e eu acho que foi isso mesmo. Uma fritura usando um maçarico”, acrescentou o ex-secretário. Logo no início de sua explanação, Geraldo Macedo deixou claro que não estava para meias palavras. “Roberto Ramalho é um tirano ingrato que não aceita opiniões divergentes. Ele não é democrático”, afirmou o ex-secretário, “se pudesse me exonerar do cargo de vice-prefeito, que foi me dado pelo voto do povo, ele o faria”.
Ainda segundo Macedo, várias ações do prefeito obstruíram sua gestão frente à secretária, como a nomeação de funcionários exonerados por ele em outra pasta. Entre os motivos da exoneração, estava o fato dos funcionários receberem sem trabalhar, de acordo com o ex-vice-prefeito. Geraldo Macedo criticou o que chamou de herança recebida quando era titular da pasta da Saúde: a realização de pagamentos sem o empenho. Fato que, de acordo com ele, ocorria desde 2009. “Eu herdei R$ 17 mil e a ex-secretária Regina (Soares), R$ 400 mil”. Macedo lembrou que nenhum pagamento da administração municipal pode ser feito sem o devido empenho.
Durante sua fala aos vereadores e público presente (com o plenário lotado), o então vice-prefeito mostrou um relatório administrativo com mais de 200 páginas o qual, segundo ele, com base em orientações do Tribunal de Contas do Estado, recomendava que o convênio com o SASS não fosse renovado. “Mesmo assim, o prefeito o renovou até 2013”, disse. Durante sua fala, Macedo confirmou que encaminhou cópias dos documentos ao GAECO, grupo especializado ao combate ao crime organizado e ao Ministério Público, pedindo providências. Esses documentos serviram de base para que o MP iniciasse uma investigação, que culminou com a denúncia contra 61 pessoas.
 
Defesa
 
            As denúncias de Macedo caíram como uma bomba no Paço Municipal. No começo do mês de setembro de 2011, Roberto Ramalho (foto) compareceu à Câmara local, para se defender dos ataques de Macedo; na ocasião, o prefeito também respondeu à perguntas dos vereadores. Para Ramalho, as declarações de Macedo, à época, tinham caráter eleitoreiro.
            Sobre as denúncias envolvendo a administração do Hospital Regional, a cargo do SASS (Sistema de Atendimento Social e Saúde), Ramalho disse que o problema “foi levantado pela equipe da prefeitura”. Sobre a dívida que o município teria com a instituição, o prefeito afirmou que “O SASS fez mais serviço do que foi contratado e a prefeitura estava passando dinheiro aquém das necessidades. “Então tem a dívida. Tudo é bem transparente”.
            De acordo com Roberto Ramalho, a dívida era de R$ 4 milhões na época da renovação do contrato com a entidade. Contrato este que não deveria ser renovado, na avaliação de Geraldo Macedo, na época secretário da Saúde do município. “Todo processo que assinamos passa por avaliação do secretário e quando chega ao prefeito é para as providencias necessárias para a renovação”. O contrato com o SAS encerrou-se em setembro de 2012.
 
Fotos: Mike Adas/Arquivo Marconews

sábado, 21 de março de 2015

Cratera aumenta e prefeitura diz que reparos são responsabilidade do DER


Técnicos do órgão devem vistoriar o local neste sábado

 
Rua Sarutaya no dia 11 de Março

 
 
Mesma rua, no dia 17 de Março de 2015
 

            Em nota enviada à imprensa na tarde de sexta-feira, a Prefeitura de Itapetininga informou que a rua Salvador de Oliveira Leme (Saruatayá), cujo trecho desmoronou no último dia 11, causando a interdição da via, está sob a jurisdição do DER (Departamento de Estradas de Rodagem) e que técnicos do órgão deveriam vistoriar o local na manhã deste sábado.
            Segundo a assessoria de imprensa da administração municipal, o prefeito Luis Di Fiori foi informado na sexta-feira, pelo secretário Duarte Nogueira (Logística e Transportes) e pelo superintendente do DER, Armando Costa Ferreira, de que a referida via é um acesso à rodovia Raposo Tavares (SP 270) e, portanto, está sob a jurisdição do Estado.
            Ainda de acordo com a nota. “a prefeitura já tomou todas as providências junto ao Governo do Estado de São Paulo para solucionar o problema e permanecerá prestando todo apoio logístico necessário para a mais rápida solução do problema”.
            A assessoria não informa quanto tempo a rua ficará interditada, mas informações iniciais dão conta que os reparos devem durar pelo menos 90 dias. Além do acesso à rodovia, a rua é a principal ligação com bairros como o Vale San Fernando e as Faculdades Integradas de Itapetininga (Fundação Karnig Bazarian).
 
Cratera vira notícia
            Com as fortes chuvas que caem diariamente em Itapetininga, o buraco que surgiu após o asfalto ceder, no dia 11 deste mês, aumentou e tornou-se notícia na internet e em grandes veículos de imprensa.
            O portal de notícias G1 (Globo) trouxe no último dia 17 imagens feitas por um drone (aeronave não tripulada), que mostram como a cratera se expandiu e engoliu quase a metade do trecho atingido.
Segundo o G1, a Defesa Civil precisou interditar, preventivamente, dez casas e uma creche, próximas à avenida. Adutoras de água e esgoto da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) se romperam com os seguidos deslizamentos de terra. O alto volume de chuvas fez com que o Executivo decretasse estado de emergência devido aos problemas de infraestrutura urbana e rural. Segundo a administração municipal, a medida possibilita ao município requisitar recursos dos governos estadual e federal para a reconstrução das áreas atingidas.
 
Darcy Vieira
Rachadura na av, Darcy Vieira
Na Avenida Darcy Vieira, que é utilizada obrigatoriamente para se chegar ao Centro da cidade, houve um aumento no fluxo de veículos e a preocupação é com a ponte que fica no início da via.  Já foram detectadas rachaduras no asfalto e a ponte já se afastou quase dez centímetros da rua, ainda conforme o portal da Globo.
De acordo com a diretora de Obras de Itapetininga, Mônica Takahashi, não há riscos de mais desabamentos. “Estive no local na quinta-feira (12), mas na verdade, ali só houve uma dilatação e não existe o problema de desabamento na Avenida Darcy Vieira”. Preocupados com s situação, internautas compartilharam nas redes sociais uma foto, onde é possível ver a rachadura no asfalto, atravessando a pista em toda a sua largura.
 
Transtornos
            Com a rua Pedro Voss também interditada (e sem previaão para conclusão das obras), chegar à Itapetininga pela Raposo Tavares, ou mesmo acessar a rodovia, tornou-se um transtorno para muito gente, já que o trajeto das linhas de transporte intermunicipal aumento em cerca de 10 km. A situação tem gerado demora e muitas reclamações dos usuários, ainda de acordo com o G1. Uma das empresas de ônibus que executam trabalhos na cidade decidiu disponibilizar um micro-ônibus para transportar os passageiros até um ponto de parada antes na rodoviária. A ideia é economizar tempo, informou a companhia.
 
Fotos: Marco Antônio (deslizamento), Reprodução G1 (cratera)
Reprodução Facebook (rachadura Darcy Vieira)

quinta-feira, 19 de março de 2015

Inscrições para futsal encerram nesta sexta-feira


Interessados devem procurar Secretaria de Esportes
 

            As inscrições para a Copa Juventude de Futsal de Itapetininga podem ser feitas até esta sexta-feira, dia 20, na Secretaria de Esportes e Lazer, no ginásio Ayrton Senna, em Vila Barth. Os interessados também devem retirar o regulamento do torneio, quando forem pegar a ficha de inscrição, que é gratuita.
            O evento será disputado nas categorias masculina e feminina, sendo a categoria  "A"  com idade de 15 e 16 anos (nascidos em 1999/2000) e a categoria "B"  para aqueles com 17 e 18 anos(nascidos  em 1997 e 1998). O início da competição deverá ocorrer ainda no final deste mês ou início de Abril, sendo sua forma de disputa, de acordo com o número de inscritos. Haverá premiação para os primeiros colocados das duas categorias; masculino e feminino.
A Secretaria Municipal  de Esporte e Lazer está localizada no ginásio Ayrton Senna da Silva; Av. José de Moraes Terra nº 2001, Vila Barth, no horário das 09:00 horas às 17:00 horas, com maiores informações pelos telefones (15)3271.7926 ou (15)3271.7342.