quarta-feira, 15 de janeiro de 2020

DPVAT: prazo para pedir restituição começa hoje

Decisões jurídicas causaram variação nos valores
Quem pagou a mais pode pedir restituição

          O seguro sobre Danos Pessoais causados por Veículos Automotores de Via Terrestre (DPVAT), que começou a ser cobrado neste mês de janeiro, está no meio de uma discussão jurídica que mexe com o bolso dos proprietários de veículos.
          Em menos de 15 dias, decisões do Supremo Tribunal Federal mudaram o valor do seguro, que é obrigatório, ora suspendendo a redução do mesmo, ora mantendo os valores cobrados com preços reduzidos. A própria existência do seguro está em xeque, pois em novembro o governo editou medida provisória extinguindo o DPVAT a partir deste ano. A decisão é vista como uma queda de braço entre o presidente Bolsonaro e Luciano Bivar, desafeto do presidente que atua no ramo de seguros.
          Discussões jurídicas e políticas à parte, muitos proprietários correram para pagar o imposto com os valores do ano passado, mas, no dia nove de janeiro, o presidente do STF, Dias Toffoli, reviu a própria decisão e manteve a redução de valores. Agora, quem pagou a mais pode pedir o ressarcimento.

Ressarcimento
O pedido de restituição para quem pagou com valores mais altos será feito pela internet, informou a Seguradora Líder, empresa gestora do seguro obrigatório. O recurso está disponível a partir deste dia 15 de janeiro. De acordo com a Líder, mais de 2 milhões de pessoas já haviam pago o DPVAT com o valor mais alto e têm direito de receber o estorno.
Após enviar a solicitação pelo sistema, o ressarcimento com a diferença de valores será feito na conta corrente ou conta poupança do proprietário do veículo em até 2 dias úteis, afirmou a gestora do DPVAT.
Na manhã de hoje, entretanto, o site para fazer o pedido de restituição apresentava lentidão e instabilidade. A seguradora informou que estava avaliando o problema.

Como pedir
Os interessados podem pedir a devolução do valor pago a mais pelo site https://restituicao.dpvatsegurodotransito.com.br.  De acordo com a gestora, a diferença do valor será feita por depósito diretamente na conta corrente ou conta poupança do proprietário do veículo.

Para realizar a solicitação, será necessário informar:
CPF ou CNPJ do proprietário;
Renavam do veículo;
E-mail de contato;
Telefone de contato;
Data em que foi realizado o pagamento maior;
Valor pago;
Banco, Agência e Conta corrente ou conta poupança do proprietário.
A gestora do seguro obrigatório disse que o proprietário receberá um número de protocolo para o acompanhamento da restituição, no mesmo site. A previsão da Líder é que, após o cadastro, a restituição seja feita em até dois dias úteis. A Fundação de Proteção de Defesa do Consumidor de São Paulo (Procon-SP) considerou que utilização de meio eletrônico facilita o processo para ter o dinheiro de volta, mas ressalta que a gestora do seguro obrigatório não poderá reter os valores de quem não se manifestar.

Parcelas
Para quem pagou, por algum motivo, o DPVAT duas ou mais vezes, a solicitação de restituição dos valores deve ser feita pelo endereço https://www.seguradoralider.com.br/Contato/Duvidas-Reclamacoes-e-Sugestoes. Para os proprietários que possuam frotas de veículos, o pedido de ressarcimento precisa ser realizado pelo e-mail restituicao.dpvat@seguradoralider.com.br.

Valores
Automóvel, táxi e carro de aluguel: R$ 5,23 - redução de 68%; era R$ 16,21 em 2019; Ciclomotores: R$ 5,67 - redução de 71%; era R$ 19,65 em 2019; Caminhões: R$ 5,78 - redução de 65,4%; era de R$ 16,77 em 2019; Ônibus e micro-ônibus (sem frete): R$ 8,11 - redução de 67,3%; era de R$ 25,08 em 2019;
Ônibus e micro-ônibus (com frete): R$ 10,57 - redução de 72,1%; era de R$ 37,90 em 2019. Motos: R$ 12,30 - redução foi de 86%; era de R$ 84,58 em 2019.
(Valores finais com as taxas)

Fonte: Portal G1

quinta-feira, 9 de janeiro de 2020

IPVA 2020: fique atento aos prazos

A cobrança do IPVA começa em janeiro; pagamento é obrigatório

Confira o dia de pagamento do IPVA

A cobrança do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) começa em janeiro em boa parte do país. O pagamento é obrigatório e a alíquota varia conforme o modelo e a "idade" do veículo e também o estado em que o contribuinte mora. Alguns estados oferecem desconto para pagamento em cota única.

São Paulo
Aqui em São Paulo, os proprietários de veículos registrados no estado podem consultar os prazos para pagamento na rede bancária. Esta consulta pode ser feita nos terminais de autoatendimento, pela internet, diretamente nas agências e pelo site da Secretaria da Fazenda indicando o número do Renavam do veículo. O dono do veículo pode pagar o imposto em cota única, com desconto, ou pagar em três parcelas, conforme o calendário de pagamentos.
O pagamento em cota única pode ser feito neste dia nove, com desconto de 3%. Mas se você perder a oportunidade, ainda é possível quitar o imposto no mês de fevereiro, mas sem desconto.
Quem deixar de recolher o imposto fica sujeito a multa de 0,33% por dia de atraso e juros de mora com base na taxa Selic. Passados 60 dias, o percentual da multa fixa-se em 20% do valor do imposto.
Isenções e imunidades
Se você tem um carro com mais de 20 anos, é taxista ou portador de deficiência, você tem isenção do pagamento do IPVA, da mesma forma os proprietários de ônibus ou micro-ônibus urbanos. Já os veículos oficiais, partidos políticos e igrejas, possuem imunidade para o pagamento deste imposto.

Licenciamento antecipado
Desde o dia 2 de janeiro, é possível optar pelo licenciamento antecipado e fazer o pagamento independentemente do número final da placa do veículo da seguinte forma: em cota única até o dia 22 de janeiro de 2020, com desconto de 3%; em cota única, até o dia 24 de fevereiro de 2020, sem desconto; até o dia 24 de março de 2020, relativamente ao pagamento da terceira parcela, quando tenha ocorrido a opção pelo parcelamento.

Fonte: portal G1 e TV TEM

segunda-feira, 6 de janeiro de 2020

As certezas e incertezas para este ano

Com o mundo se transformando rapidamente, é preciso estar aberto às mudanças



          Dois mil e vinte chegou! Para muitos, parece um sonho que o mundo tenha chegado tão longe. Basta lembrar que, há pouco mais de 20 anos, muitos davam como certo o fim dos tempos, durante a passagem do milênio.
          Em 1999, o grande fantasma do fim do mundo era caracterizado como o Bug do milênio, uma pane nos computadores que poderia levar a economia mundial a um colapso. O temor era de que os computadores da época não entendessem a mudança de data. De fato, houve um ou dois problemas, mas foram pontuais e sem gravidade. O mundo, obviamente, não acabou.
          O nosso querido planeta azul não acabou, mas mudou muito nos últimos anos. O aquecimento global é um fato que não pode ser ignorado e tem como principal fator propulsor a ação do homem.
          Mudanças profundas na política mundial criaram um novo quadro geopolítico: o atentado às Torres Gêmeas em setembro de 2001, a caçada  à Osama Bin Laden, o surgimento do Estado Islâmico, os atentados de Paris, as guerras na Síria e no Iêmen (esta última, com bem menos visibilidade, mas tão horrenda quanto a outra, ou até pior), o franco atirador que atacou uma mesquita na Nova Zelândia. Tudo isso – e muito mais – aconteceu nos últimos 20 anos.
          O mundo tem assistido a escalada da extrema direita, que avança na Europa e em outras nações, como o Brasil. Aqui, embora não seja extremista, a direita chegou ao poder com o discurso de combate à corrupção, à velha política e prometendo mudanças. Mas estas mudanças, cheias de viés ideológico (embora o presidente negue) parecem ter como objetivo desconstruir tudo o que foi feito por governos anteriores, ainda que muitas dessas ações estejam funcionando.
          Para 2020, há sinais claros que o país começa a se recuperar da crise. Esta é uma das certezas que temos, pelo menos para o primeiro semestre do ano. Como vivemos em um mundo globalizado, com mudanças acontecendo a toda hora e muito rápido, é difícil prever como chegaremos em 2021.
          No cenário político internacional, as incertezas são ainda maiores. A saída da Inglaterra da União Europeia parece uma novela sem fim. e o final, se houver, pode ser surpreendente. Em Israel, a incapacidade de se formar um governo resultou na dissolução do parlamento e a convocação de novas eleições. Nos Estados Unidos, cresce a pressão para um processo de impeachment do presidente Donald Trump. Se a história do mundo fosse um livro de mistério (e quem disse que não é?) seria um best seller com final desconhecido até pelo autor.
          Diante de tantas incertezas, algumas certezas se mostram claramente. Novas lideranças estão surgindo no mundo todo, como a ativista Greta Thunberg, que certamente deu novo folego à luta pelo meio ambiente, ou a nova primeira-ministra da Finlândia, Sanna Marin, de apenas 34 anos, a mais jovem a ocupar o cargo.
          Também podemos ter a certeza de que o discurso de ódio, seja de esquerda ou de direita, não resistirá por muito tempo. Basta ver as milhares de pessoas que apoiaram a senadora italiana Liliana Segre, de 89 anos, sobrevivente do Holocausto, que recebeu ameaças. E o ano começou com o recrudescimento da tensão entre os Estados Unidos e irã, após o presidente Donald Trump ordenar o ataque que matou o general Qassem Soleimani, o segundo homem mais poderoso do Irã. O mundo aguarda com grande expectativa o desenrolar dos fatos. Podemos esperar então um ano cheio de surpresas. E, em um piscar de olhos, já estaremos em 2021!

quinta-feira, 19 de dezembro de 2019

Moda verão 2020: saiba o que vai bombar entre a moçada

Tendências revisitam anos 60 e 70

Enfrente o calor com conforto e elegância

O Verão no hemisfério Sul do planeta Terra começa oficialmente neste domingo, dia 22 de dezembro e vai até 20 de março de 2020. Para alguns, é a estação mais aguardada do ano. Época de calor, sol, férias e viagens.
E para aproveitar a estação, é importante também estar ligada (ou ligado) nas tendências da moda para o Verão. A estação pode ter muitas cores e tendências, algumas inclusive revisitando estilos antigos, nos anos 60 e 70. Os clássicos do Verão também devem marcar presença. Enfim, há estilos para todos os gostos e bolsos.
Segundo o site Beleza e Moda, algumas das próximas tendências continuam das últimas temporadas, como a estampa animal print. Outras tendências foram resgatadas de temporadas muito antigas, como o tie-dye, uma técnica artística e antiga de tingimento. Já outras são itens clássicos que aparecem com um update, como o jeans de lavagem ácida.

O que vem com força
Entre as tendências que devem ir com força para o verão 2020 está o tie-dye, que teve uma grande popularidade nos anos 60 e 70 sendo muito usado no movimento hippie. As pessoas mais discretas que querem entrar para a tendência também podem apostar em peças com tingimento em degradê, chamado de ombré e que se assemelha ao tie-dye.

Animal Print

As estampas animais, que já foram queridinhas em diversas temporadas e que já apareceram muito no último inverno, continuarão em alta. Exemplos desta tendência é a estampa de zebra, onça e píton. Animal print estará presente tanto nas peças de vestuário como nos acessórios. Como esta estampa já esteve em alta diversas vezes, impossível não ter no guarda-roupa alguma peça que dê para reaproveitar, fazendo um update e dando um toque fashionista combinando com cores vibrantes.

Estampa Vichy
Esta tendência já bombou nos verões no exterior e algumas marcas nacionais já estão apostando nela para o verão 2020. Esta estampa é parecida com o xadrez e lembra muito toalhas de piquenique. Nesta estação a estampa vichy será mais utilizada em cores pastéis e cai bem em qualquer ocasião e qualquer peça. Para as mais ousadas, também vale combinar a estampa vichy em cores mais neutras com outras peças monocromáticas em corres vibrantes.

Listras
Ainda falando em estampas, as listras, apesar de serem atemporais, estarão em maior evidência nesta temporada de verão, principalmente em peças coloridas. Além desta estampa clássica estar em alta, as listras verticais podem ser utilizadas como truque para alongar a silhueta.

Franjas

As franjas aparecem nesta temporada diferentes daquela pegada boho ou country, que foram sucesso há pouco tempo atrás. As franjas irão aparecer em tecidos com maior caimento, como seda, em uma pegada anos 20. Esta tendência dá um toque clássico e elegante aos looks e aparecem principalmente em vestidos.

Tramas Abertas
Esta textura nos tecidos lembra redes de pesca e dão um ar descontraído, ao mesmo tempo que fashionista para os looks. Você verá as tramas abertas em vestidos, saias, blusas e até mesmo bolsas.

Corte Mullet é destaque
Outro sucesso nos verões fora do Brasil, o corte mullet aparece principalmente em vestidos e saias e é caracterizado por uma assimetria, sendo mais curto na frente do que atrás. Esta tendência irá aparecer em diversos comprimentos e vai bem com diversos tipos de sapatos, desde rasteirinha até bota.

Manga Bufante
Popular nos anos 90, as mangas bufantes estão de volta! Apesar de polêmicas, as mangas bufantes podem ser mais discretas e dão um ar romântico aos looks. Elas estiveram muito presentes nos desfiles e já invadiram os guarda roupas, sendo usadas até em tecidos transparentes, dando uma cara nova e um ar moderno a este clássico.

Amarrações Frontais
As blusas e croppeds com amarrações frontais feitas com laço ou nó, vem com força total nesta temporada. Este item já faz muito sucesso, mas estará em alta no verão 2020. As blusas e croppeds com amarração frontal dão um ar sexy e feminino á qualquer look, valorizando o colo e busto.

Cintura marcada
Entre as principais tendências da moda para o verão de 2020 está a cintura marcada. Esta modelagem pode ser usada através de peças como calças, shorts e saias justos nesta região ou também pode ser feita a delimitação no corpo com cintos ou pochetes (sim, as pochetes estão de volta!). A cintura marcada pode valorizar qualquer tipo de corpo, se usada da maneira adequada, além de também poder ser usada como truque para alongar a silhueta.

Fonte: site Beleza e Moda

quarta-feira, 4 de dezembro de 2019

Prefeitura prorroga prazo do Refis

Interessados têm até o dia 18 para regularizar situação



          Quem está em débito com os cofres municipais tem até o próximo dia 18 para quitar os impostos atrasados. A administração municipal anunciou que prorrogou até a referida data o prazo para os interessados em parcelar os impostos, através do Programa de Recuperação Fiscal de Itapetininga (Refis).
De acordo com a secretaria de Finanças, até o momento, foram arrecadados no Refis 2019, aproximadamente, R$ 4 milhões. Na última edição do programa, em 2017, a soma dos valores pagos ultrapassou 10 milhões.
A Secretaria Municipal de Finanças solicita que os contribuintes interessados não deixem a adesão para o prazo final para evitar filas e informa que, após o dia 18 de dezembro, não haverá uma nova prorrogação.
Quem optar pelo Refis deverá observar que quanto menor o prazo para quitar a dívida, maiores serão os descontos. A cota única, ou seja, pagamento de uma só vez, terá 90% de redução nos juros e na multa devida. No parcelamento em seis vezes, o abatimento será de 80%. Quem esticar em 12 vezes, a queda é de 70% sobre as penalidades pela inadimplência. É possível parcelar em 18 parcelas com redução de juros e da multa em 60%. Quem preferir dividir em 24 unidades, 50%. No caso de 36 meses, diminuição de 40%. Nos valores acima de R$ 100 mil, o parcelamento pode ser feito em até 60 vezes com acréscimo de 4% (quatro) ao ano a título de juros compensatórios.
Para participar ou tirar alguma dúvida basta dirigir-se aos postos do Atende Fácil localizados na Vila Rio Branco ou no Paço Municipal, das 9h às 17h. Atende Fácil no Paço Municipal, à praça dos Três Poderes “Desembargador Theodomiro Dias” e na Vila Rio Branco, que fica à rua Padre Antônio Brunetti, 501, para protocolar os pedidos.

Documentos
Os documentos necessários são: CPF, RG, Comprovante de Endereço, Comprovante de vínculo com o proprietário do imóvel (escritura ou contrato) e procuração simples com firma reconhecida. No caso das empresas, contrato social e procuração simples com firma reconhecida.

quinta-feira, 21 de novembro de 2019

A rica indústria turística brasileira

Setor continua apresentando bons resultados

Praia de Jericoacoara

          O turismo, no Brasil e no mundo, navega em céu de brigadeiro e mar de almirante. O setor parece imune às crises econômicas que cruzam o planeta de cabo a rabo, movimentando bilhões de dólares pelo mundo afora. E a tendência é crescer.
          No Brasil, por exemplo, o Ministério do Turismo registrou, em setembro último. um crescimento de 8% no número de brasileiros que desejam viajar, em relação ao mesmo período de 2018. Segundo dados da sondagem realizada pelo ministério, 24,3% dos brasileiros manifestaram intenção de viajar nos próximos meses, quando começa o verão e a alta temporada. O início oficial do verão no hemisfério sul é 22 de dezembro e o término, 20 de março de 2020.
          Parece que só o impacto de uma tragédia ambiental, como o derramamento de óleo nas praias do Nordeste brasileiro, pode arrefecer a vontade do cidadão viajar. Por isso esta crise ambiental pode ter consequências muito mais profundas do que se espera. Só lembrando: o Nordeste é o principal destino do turismo doméstico, liderando uma atividade que corresponde a pouco mais de 4% do PIB (Produto Interno Bruto) do Brasil. Muitos turistas já estão ligando para pousadas e agências de viajar, perguntando a situação das praias e se há contaminação pelo óleo. Pode haver cancelamentos em níveis inéditos.
          Mas este problema ambiental é pontual, e as autoridades devem agir com rapidez para solucioná-lo, e isto não deve afetar o turismo como um todo. Segundo o levantamento do Ministério do Turismo, para 80,3% dos futuros viajantes, a ideia é desbravar os destinos nacionais e desfrutar de belos cenários naturais, rica gastronomia e manifestações culturais.

Principal destino
O estudo também revela que a Região Nordeste segue como a mais desejada por estes turistas, com 48% das preferências. Este índice representa um crescimento de 23% no desejo de visitar os destinos do Nordeste. A Região Sul ficou em segundo lugar com 25,3% das intenções de visita, seguida pelo Sudeste (19,2%), Centro-Oeste (4%) e Norte (3,5%).
Os dados do ministério apontam que aproximadamente 60 milhões de brasileiros viajam pelo país, mas há outros milhões com potencial e desejo de entrar nesse mercado. Daí a importância do fortalecimento do turismo doméstico, em suas múltiplos formas - negócios, ecológico, esportivo, cultural, religioso - é um caminho que precisa ser explorado, na avaliação do ministério.
Em relação aos meios de hospedagem, 46,3% dos brasileiros que manifestaram intenção de viajar desejam hospedar-se em hotéis e pousadas durante a viagem dos próximos seis meses. A segunda opção mais desejada pelos viajantes foi a casa de parentes e amigos (42,5%), seguida pelos meios alternativos de hospedagem, que somaram 11,2% das preferências. Os dados são do Ministério do Turismo.
Outro destaque do levantamento feito pelo ministério revela que a intenção de viajar de avião nos próximos meses cresceu 9,6% em relação ao mesmo período do ano anterior, registrando o índice de 56,8% das preferências dos potenciais turistas. O automóvel foi o segundo meio de transporte preferido para a próxima viagem com o índice de 30,4%, seguido pelo ônibus com 11,3%. Esses números dão a dimensão da importância do turismo para o país, principalmente para os municípios.

Estudo
Segundo o Ministério do Turismo, a Sondagem do Consumidor – Intenção de Viagem é realizada todos os meses em Belo Horizonte, Brasília, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo. Juntas, as sete capitais brasileiras monitoradas representam 70% do fluxo turístico do Brasil.

Dados
          Não é só o brasileiro que viaja através do nosso país. Afinal, com um extenso litoral (quase 8 mil km) e lindas e belas paisagens para todos os gostos, o Brasil atrai turistas de todo lugar. Segundo dados do governo, mais de 13 milhões de turistas estrangeiros chegaram ao Brasil em 2017 e 2018, sendo, respectivamente, 6,59 milhões (2017) e 6,62 milhões (2018), criando a seguinte
receita cambial (Bilhões de US$): US$ 5,81 bi (2017) e US$ 5,92 bi (2018).
Fonte: Departamento de Polícia Federal - DPF, Ministério do Turismo - MTur e Banco Central do Brasil - BACEN.

Superando a crise ambiental
          Apesar da crise ambiental gerada com o derramamento de óleo na costa brasileira e as incertezas que esta situação ainda causa, o Nordeste, principal região atingida até o momento, continua em alta como destino turístico.
          Essa é a avaliação de Roberta Nanini Chauar Rolim, profissional de turismo ligada à uma grande operadora. “O que podemos afirmar é que os destinos no Nordeste seguem em alta e é a região preferida dos brasileiros para as viagens de férias”, afirma Roberta.
          Segundo ela, “na alta temporada do verão, os brasileiros preferem fazer viagens nacionais principalmente para destinos litorâneos para aproveitar a estação mais quente do ano”.

Vendas aquecidas
          Mesmo com o grave problema ambiental que atinge as praias nordestinas (e que já ao Sudeste), Roberta garante que “temos percebido que os clientes estão mantendo suas viagens ao Nordeste e as vendas permanecem aquecidas. De certa forma, o noticiário tem mostrado que as regiões atingidas estão sendo limpas e que, dada a extensão do Nordeste e quantidade de praias, a maioria dos clientes não vê impeditivos para a realização da viagem aérea”. Veja matéria completa na edição deste mês da revista Hadar.

Foto: praia de Jericoacoara - Ricardo Rollo - Embratur

segunda-feira, 4 de novembro de 2019

Aniversário de Itapê terá Michel Teló


Além do cantor, outras atividades estão programadas

Itapetininga completa 249 anos

          O cantor sertanejo Michel Teló será a grande atração das festividades alusivas ao 249º aniversário de Itapetininga, comemorado nesta terça-feira, dia 5.
          Segundo a Prefeitura, a festa começará a partir das oito horas, com hasteamento de bandeiras e desfile cívico na Avenida Marginal do Chá. Além do desfile oficial, a administração municipal programou uma série de atividades na Praça dos Três Poderes, em frente ao Paço Municipal. Serão 10 horas com várias atividades para as famílias de Itapetininga.


          A Prefeitura informou que “brinquedos para os pequenos estarão disponíveis em vários pontos da praça, que também contará com uma área destinada aos “food trucks” (transportes móveis que comercializam alimentação) e no palco principal, que será instalado no estacionamento da prefeitura, vários cantores regionais vão animar a público a partir das 10h. Às 20h, quem sobe ao palco para comemorar o aniversário de Itapetininga, será o cantor sertanejo Michel Teló (foto), um dos jurados do programa The Voice Brasil e também apresentador do quadro do Fantástico, Bem Sertanejo. Todos os shows serão de graça. A prefeitura de Itapetininga está preparando um local para que as famílias aproveitem e curtam este dia especial com toda a segurança. No local, haverá ambulatórios médicos e banheiros químicos. As ruas serão sinalizadas. Polícia Militar e Guarda Civil Municipal estarão na região para auxiliar motoristas e pedestres”.

Avenida Peixoto Gomide, na primeira metade do séculos passado

Fotos: Itapetininga (Mike Adas), Michel Teló (Divulgação), Itapetininga antiga (Arquivo)