quarta-feira, 22 de março de 2017

Água: sem ela nao há vida

Há 25 anos, foi criado o Dia Mundial da Água

O rio Itapetininga é um dos menos poluídos do Estado de São Paulo


Com boa parte de sua superfície coberta por água, muita gente acha que a Terra deveria se chamar planeta Água. Afinal, o nome do nosso lar - o lar de toda a vida conhecida - teria sido escrito errado pelo funcionário do cartório, na hora de registrar..
Brincadeiras a parte, o Brasil é o país com maior volume de água doce do mundo: 12% de toda água apropriada para o consumo humano está aqui, mais que na Europa ou Africa. Aqui está o maior rio do mundo, o Amazonas. Além do imenso volume de água, hoje se sabe que ele é mais extenso do que o rio Nilo, antes considerado o mais extenso.
Além disso, o nosso país tem um outro trunfo. O aquifero Guarani, um imenso reservatório subterrâneo de água doce que abastece alguns municípios paulistas.
70% da água que chega às casas da cidade de Sáo José do Rio Preto vem dos Aquíferos Guarani e Bauru. O Aquífero Guarani é o maior manancial de água doce do mundo. Ele abrange oito estados do Brasil, além do Uruguai, Paraguai e Argentina. Há estudos que estimam as reservas permanentes deste manancial em mais de 45 mil km3 de agua. O que seria suficiente, segundo técnicos, para abastecer toda a população brasileira por um longo período.
Mas, por maior que seja, o aquífero é finito e depende das chuvas para manter seu volume. Sua importância é estratégica e o seu uso deve ser feito com planejamento, pois pode fornecer água para agricultura, abastecimento, lazer e turismo, mas a retirada indiscriminada de suas reservas e a seca, constituem uma ameaça real a este gigante. A água subterrânea é retirada por meio de poços artesianos. Em São José do Rio Preto são quase 250 poços que retiram água dos Aquíferos Bauru e Guarani. Como não é poluída, pois é filtrada no longo caminho entre a superfície e o aquífero, a água não precisa passar pela estação de tratamento convencional. Recebe flúor e cloro no poço. Uma bomba instalada onde a lâmina de água é mais espessa bombeia a água pra cima. O problema é que existem, além dos poços municipais, quase 3,8 mil poços retirando água do aquífero, a maioria de forma descontrolada e clandestina.

Dia da água
Essencial para a vida, a água é tão importante que ganhou um dia especial: 22 de março, estabelecido pela ONU (Organização das Nações Unidas) no dia 22 em 1992. O dia 22 de março, de cada ano, é destinado à discussão sobre os diversos temas relacionadas a este importante bem natural.
Mas porque a ONU se preocupou com a água se sabemos que dois terços do planeta Terra é formado por este precioso líquido? A razão é que pouca quantidade, cerca de 0,008 %, do total da água do nosso planeta é potável (própria para o consumo). E como sabemos, grande parte das fontes desta água (rios, lagos e represas) esta sendo contaminada, poluída e degradada pela ação predatória do homem. Esta situação é preocupante, pois poderá faltar, num futuro próximo, água para o consumo de grande parte da população mundial. Pensando nisso, foi instituído o Dia Mundial da Água, cujo objetivo principal é criar um momento de reflexão, análise, conscientização e elaboração de medidas práticas para resolver tal problema. Existe até uma carta com os Direitos da Água. Afinal, um elemento tão importante merece todo cuidado e respeito.

terça-feira, 21 de março de 2017

Garrafa PET em caixa d'água reduz consumo em mais de 30%

Iniciativa de condomínio carioca virou tema de reportagem

As garrafas vão dentro das caixas

Um conjunto de medidas simples, adotado por um condomínio na cidade do Rio de Janeiro, reduziu o consumo diário de água de 45 mil litros para 30 mil litros; uma redução de 33%. A história foi apresentada no programa É de Casa (TV Globo) do dia 11 de fevereiro. Entre as medidas, estão a verificação diária da conta d'água para se identificar possíveis vazamentos, manutenção das caixas de descargas nos banheiros, com a troca eventual de peças que possam gerar vazamento e, a grande novidade, a colocação de uma garrafa PET cheia de areia dentro da caixa de descarga.
A garrafa "engana" a caixa, fazendo com que ela precisa de menor quantidade de água para encher e dar a descarga. Com isto, a economia pode chegar a mais de três litros de água por dia. Claro que o bolso do consumidor agradece.

Mas é preciso usar um tipo de areia - a areia sanitária para gatos (foto), que é antibacteriana - e amarrar um arame no ponto de equilíbrio da garrafa, colocando-a de pé na caixa de descarga. A areia deixa a garrafa mais firme dentro da caixa. Esta é uma medida que pode ser adotada por edifícios de todo o Brasil, sendo mais eficaz do que diminuir a bóia da caixa para reduzir o volume de água, pois isto acaba reduzindo também a pressão e a pessoa acaba tendo de ar descarga mais vezes, gerando mais consumo de água. Portanto, se você mora em condomínio - ou mesmo em casa particular - ficam aqui as duas dicas: usar a garrafa para economizar água e evitar diminuir a bóia da caixa d'água, pois no fim das contas você estará consumindo mais água. Além disso, outra vantagem é que esta medida contribui para retirar garrafas PET de circulação, o que contribui e muito para o Meio Ambiente. Só lembrando que, nesta quarta, dia 22 de Março, é o Dia Mundial da Água e qualquer iniciativa que economize o uso deste elemento vital à vida é louvável e deve ser seguida.

Fotos: Imagem de TV

quarta-feira, 8 de março de 2017

Participação da mulher no mercado de trabalho cresce

Força de trabalho dá um salto e passa de 32 milhões, mas desigualdade persiste

As mulheres estão cada vez mais presentes no mercado de trabalho


Embora seja a maioria da população brasileira (59,64%) em 2016, segundo o IBGE, a mulher ainda luta para conquistar seu espaço e representatividade na sociedade. Mesmo com avanços nos últimos 40 anos, a mulher brasileira ainda enfrenta preconceito e discriminação. Isso sem falar em várias formas de violência, que devem ser combatidas e denunciadas. Dos 207 milhões de brasileiros, mais de 103 milhões são mulheres. Em média, elas trabalham cinco horas a mais do que os homens, mas recebem em torno de 76% dos salários deles.
A participação de mulheres no mercado de trabalho cresceu de forma significativa nos últimos 40 anos. Mas o salto mesmo aconteceu a partir de meados da década de 70. Estudos apontam que 32 milhões de mulheres entraram no mercado de trabalho entre 1976 e 2007. Se em 1976, 29% das mulheres trabalhavam, adentramos o novo milênio com mais de 40% trabalhando ou procurando emprego (ou seja, participando da PEA- população economicamente ativa, que inclui para o IBGE, os/as ocupados/as e os/as que estão á procura de trabalho). Apesar do crescimento, uma parcela significativa das trabalhadoras ainda permanece na informalidade, situação que se acentua em tempos de crise.

Evolução
Apesar das dificuldades, a situação da mulher é bem diferente do que era no início do século passado, quando imperava o modelo patriarcal, no qual o pai era o chefe e provedor da família e a mulher não precisava e nem deveria ganhar dinheiro. Vale lembrar que até a década de 30, elas não tinham direito a voto. E mesmo hoje, a representatividade feminina na política está longe de ser a ideal. Na Câmara Federal, por exemplo, dos 513 deputados, menos de 50 são mulheres.
A partir dos anos 70, a situação da mulher no mercado de trabalho começou a mudar de maneira acentuada. Valores tipicamente femininos, como a capacidade de trabalho em equipe, o diálogo e o poder de convencimento em contraposição ao autoritarismo masculino e a cooperação no lugar da competição se tornaram temas que atraem a atenção das empresas e do mercado de trabalho.
Atualmente, as mulheres estão presentes em praticamente todo segmento da sociedade brasileira e não apenas no mercado de trabalho. O Brasil já elegeu, por exemplo,uma mulher presidente da República. E o Supremo Tribunal Federal, a mais alta corte do País. é presidido atualmente por uma mulher. Só para comparação, os EUA, a maior e mais sólida democracia do planeta, ainda não elegeu uma mulher para a Presidência.

Discriminação
Mesmo com o progresso alcançado, estudos apontam que a inserção da mulher no mercado de trabalho é acompanhada por um elevado grau de discriminação, seja com relação à qualidade das ocupações que vêm sendo criadas, tanto no mercado formal quanto no informal, mas principalmente no que se refere à desigualdade salarial entre homens e mulheres.
E olha que não é de hoje que a mulher vem lutando por melhores condições de trabalho e salários. Durante as duas guerras mundiais, por exemplo, enquanto os homens estavam no campo de batalha (lutando em batalhas criadas pelos próprios homens), muitas mulheres tiveram de assumir a liderança da família e dos negócios.
Mesmo passados mais de 70 anos da última grande guerra, ainda são poucas as mulheres em cargos de chefia nas empresas. Mas este é um quadro que está mudando em muitos países, onde as mulheres, de maneira pacifica e silenciosa vem conquistando posições cada vez mais qualificadas.
No Brasil, pelo menos por enquanto, a situação não é das melhores para as trabalhadoras. Embora representam 41% da força de trabalho, apenas 24% possuem cargo de gerencia.
No outro extremo, estudos indicam que as mulheres ainda são mais direcionadas pelas empresas para funções de rotina. Resultado: de cada 10 pessoas afetadas pelas Lesões por Esforços Repetitivos, oito são mulheres. A boa notícia para as mulheres é que elas chegam mais cedo ao topo; aos 36 anos em média.
Neste Dia Internacional da Mulher, o Marconews presta homenagem à todas as mulheres, lembrando que respeito, tolerância e amor à vida devem ser valores inerentes ao ser humano, independente de sexo, orientação sexual, religião ou cor da pele.

sexta-feira, 3 de março de 2017

Estresse: o mal do século

Ritmo acelerado da vida moderna afeta a saúde

O estresse prejudica a qualidade de vida



Se a modernidade tem um preço, talvez seja a saúde das pessoas. Em tempos em que o ritmo de vida está cada vez mais acelerado - e as cobranças surgem de todos os lados - manter-se calmo, equilibrado e de bem com o mundo parece ser uma tarefa quase impossível.
Evitar o estresse parece ser um trabalho digno dos deuses, até mesmo o semideus Hércules, que realizou 12 tarefas quase impossíveis, teria dificuldade em manter a calma diante das cobranças do mundo moderno, como prazos a cumprir para entregar um trabalho, por exemplo.
Muitos acreditam que o desenvolvimento tecnológico por si só não se traduz em melhor qualidade de vida. Hoje, estamos mais sedentários do que nunca e comemos alimentos com elevados índices de gordura, sal, açúcar e sabe-se lá mais o quê. Tudo isso converge para, sob muitos aspectos, uma piora na qualidade de vida. Por isso, cada vez mais pessoas buscam uma vida mais saudável e equilibrada.
Mas, ao contrário do que muitos pensam, o estresse tem o lado bom. Nesse caso, ele prepara o organismo para determinadas situações, que podem ser desagradáveis ou não. Jà o lado negativo - e o mais conhecido - do estresse pode ser minimizado ou mesmo prevenido com atividades e atitudes que resultem em uma mudança no estilo de vida da pessoa. Meditação e Yoga estão estão entre as opções que podem contribuir para manter o estresse em níveis aceitáveis.
Veja matéria completa na edição deste mês da revista Hadar (Tatuí)

sábado, 25 de fevereiro de 2017

Domingo no Parque acontece em Vila Sônia

Evento tem início às 8 horas
Projeto oferece várias atividades


Neste domingo de Carnaval acontece mais uma edição do Domingo no Parque, iniciativa da administração municipal com a participação das secretarias de Cultura, Saúde, Educação, Trabalho, Esporte, Lazer e Juventude. O evento acontece na VIla Sônia (próximo ao Sesi) e também na Praça dos Três Poderes, em frente ao Paço Municipal entre oito da manhã e meio-dia.
Segundo a Prefeitura, o projeto "foi criado pensando nas famílias e no bem-estar da população. Ele é realizado com materiais próprios de cada secretaria, com criatividade na elaboração das atividades. A ideia é ampliar o projeto para mais bairros de Itapetininga”.
Quem participa do Domingo no Parque pode desfrutar de atividades como vôlei, badminton, tênis de mesa, slackline, futebol, além de um redário e colchonetes para relaxamento e leitura. O projeto ainda oferece uma área para leitura de livros infantis por meio da “Geloteca”. 
Na Praça dos Três Poderes, ele é realizado próximo ao Mirante do Paço Municipal, no Jardim Marabá. Já na região da Vila Sônia, está localizado em frente às futuras instalações CIE (Centro de Iniciação ao Esporte), no Parque Fausto Tavares Ramalho. 

Serviço
Data: 26/02/2017
Horário: Das 8h às 12h
Locais: Área em frente ao Parque Fausto Tavares Ramalho (perto do antigo Centro de Tradição Tropeiro Boiadeiro de Itapetininga, entre as Vilas Hungria e Sônia). Praça dos Três Poderes, próximo ao Mirante do Paço Municipal – Jd. Marabá 
Fotos: Divulgação - assessoria de Imprensa PMI

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

Festival do Boteco abre o Carnaval nesta sexta

Evento acontece até o próximo dia 28, das 14 à uma da manhã

Ilustração ostra como será o Festiva do Boteco

O carnaval itapetiningano começa oficialmente nesta sexta, 24, com o tradicional Festival do Boteco. O evento acontece na praça Marechal Deodoro, (Largo dos Amores), em frente ao Centro Cultural. No local terá barracas com comidas típicas e um palco com apresentações musicais.

Desfile de Carnaval
Segundo a Prefeitura, o desfile do carnaval de rua acontecerá no domingo (26) e na terça(28), a partir das 21 horas, no trecho da rua Virgílio entre as ruas  Domingos José Vieira com a Pedro Marques. São duas escolas que participarão: Aristocratas, Samba e Cultura, (escola mais antiga da cidade, fundada em Vila Santana) e Imperador do Samba, além de blocos.
Oficinas de Instrumentos
Este ano, a Secretaria de Cultura realizou a iniciativa das Oficinas de Instrumentos, que teve por objetivo confeccionar instrumentos de bateria a partir de materiais recicláveis, além de dar aulas de iniciação ao samba para o desfile do Carnaval 2017 de Itapetininga, com o bloco Um Luxo Só. 
As oficinas foram corrdenadas pelo músico Rudy Rocha, que mantém um projeto social em Londres (Inglaterra) em parceria com a ONG Live Music Now, que visa levar a música a comunidades e pessoas que têm pouco acesso a cultura No Brasil, Rudy está implementando seu projeto em Itapetininga, com o apoio da Secretaria de Cultura e Turismo.
Exposição no Centro Cultural
Os amantes da boa e velha folia também podem visitar a exposição Nosso Carnaval tem História, que conta com fotos, fantasias, adereços e muitas outras boas recordações. A exposição será realizada até o dia 1º de março, das 10h às 17h, no Centro Cultural e Histórico Brasílio Ayres de Aguirre, que fica no Largo dos Amores, no centro.
Recordar é viver
Para reviver os bons momentos do Carnaval de Itapetininga e homenagear quem fez parte desta história, a Prefeitura realizou um Grito de Carnaval no sábado, 18, neste saindo do Fórum Velho, na Praça Peixoto Gomide. O evento contou com participação dos jipeiros e desfile de convidados ilustres do Carnaval.

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

Prefeita diz que pretende incentivar construção civil

Simone Marquetto quer desburocratizar setor

Simone Marquetto, prefeita de Itapetininga


          Em entrevista ao jornal Imóvel e Construção (da cidade de Tatui), a prefeita de Itapetininga, Simone Marquetto (PMDB), comentou sobre as ações que pretende adotar para estimular o mercado de construção civil no município. O segmento é um dos que mais empregam no país e considerado um termômetro da economia.
          Para a prefeita, “levando em consideração que a construção civil é um dos setores que mais empregam no Brasil, aqui em Itapetininga quero incentivá-lo por meio da desburocratização do setor, gerando mais mão de obra, empregos e o consequente aumento do consumo”.
          Sobre o procedimento para aprovação de projetos, Simone afirma acreditar “que é possível acelerar este processo de aprovação através da elaboração de um “Manual de Ética”, para ser seguido e tudo ser tratado com igualdade”.
          Sobre a destinação e manejo dos resíduos da construção civil, Simone Marquetto garante que “na minha administração os “ecopontos” poderão ser utilizados para a destinação dos resíduos da construção civil, uma vez que será feita a limpeza destes locais de descarte periodicamente para não oferecer riscos à população e ao meio ambiente”.
Leia mais na edição de fevereiro do jornal Imóvel e Construção