quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

O que esperar de 2015


Ano começa com boas notícias, mas nem tudo são flores

 
Comemoração da chegada de 2015 na Austrália
            O alvorecer de 2015 começa com uma notícia que certamente entrará para a história: a reaproximação e o restabelecimento das relações diplomáticas entre os EUA e Cuba, após um intervalo de mais de meio século, período no qual a economia da ilha caribenha praticamente parou, principalmente devido ao embargo comercial imposto pelos americanos.
A decisão da administração Obama foi corajosa, já que enfrenta resistência até dentro do partido Democrata, do próprio presidente, e entre asilados cubanos que vivem nos EUA.
Mas a iniciativa mostra que sempre há espaço para o diálogo e a abertura deste canal de comunicação pode ser muito saudável para o povo cubano, já que os bons ventos da modernidade podem trazer novas ideias e flexibilizar o regime dos irmãos Castro.
O Brasil também colherá os frutos políticos dessa reaproximação, segundo analistas. Nos últimos anos, Brasil e Cuba estreitaram laços fortalecidos por uma natural sintonia ideológica entre os governos. Como resultado, o intercâmbio comercial entre os dois países cresceu quase sete vezes, passando de US$ 92 milhões em 2003 para US$ 625 milhões em 2013. Atualmente, o Brasil é o terceiro maior parceiro comercial de Cuba, após a China e a Venezuela. O ápice das relações entre os dois países veio com a construção do porto de Mariel, obra tocada em grande parte pela brasileira Odebrecht a um custo de US$ 975 bilhões e financiada com dinheiro do BNDES. O terminal ocupa uma área de 400 quilômetros quadrados que abriga a "zona de desenvolvimento especial" de Cuba, uma zona franca e industrial para a qual o governo pretende atrair indústrias estrangeiras por meio de incentivos. Ali vigora um sistema diferente do resto da ilha, onde empresas têm poucas restrições para contratar, contam com isenção de impostos e não são obrigadas a se associar a companhias estatais.
Apesar dos dividendos políticos e dos investimentos brasileiros na ilha, o retorno econômico da construção do porto ainda gera controvérsia, embora o governo brasileiro ressalte que a obra beneficiou empresas e gerou empregos em nosso país. O problema, segundo analistas, é que o comércio entre Brasil e Estados Unidos, não precisa do porto gigante, como defendem alguns setores. Além disso, a economia cubana é acanhada para atrair indústrias e desenvolver um mercado consumidor. Investir no país hoje é uma aposta.
E falando em apostas...Alguém quer apostar que a crise na Rússia vai durar mais de dois anos? Extremamente dependente da exportação de petróleo e gás natural, a Rússia se vê em palpos de aranha, com o preço do barril de petróleo despencando no mercado mundial por pressão dos países árabes. Os russos ainda enfrentam os problemas causados pelas sanções econômicas impostas pela comunidade europeia, por causa do apoio de Moscou aos separatistas ucranianos. Realmente; parece que o inverno russo de 2015 vai ser ainda mais rigoroso do que o normal.
E o petróleo também está no centro das discussões aqui no Brasil, mais precisamente a Petrobrás, maior empresa nacional envolvida em um gigantesco escândalo de corrupção e lavagem de dinheiro, descoberto pela Operação Lava Jato. A história ainda vai dar muito pano para manga, como afirma o ditado popular, e deve adentrar o ano de 2015.
Mas um dos pontos positivos deste episódio é que a Petrobrás já anunciou mudanças em seu processo de contratação de empresas e licitações, com o objetivo de tornar a empresa mais transparente e menos sujeita a desmandos e desvio de dinheiro. Pode parecer que a mudança veio tarde, mas é sem dúvida um reflexo da operação desencadeada pela Polícia Federal, que deve continuar agindo com firmeza e independência em 2015, assim como o Ministério Público. Afinal, para passar o Brasil a limpo, é necessário encarar a sujeira de frente!
E encarar os desafios de frente nos leva a outra questão: ampliar o uso da energia limpa e renovável, que não agrida o Meio Ambiente. Embora o mercado brasileiro de automóveis ainda esteja engatinhando no segmento de carros híbridos (que usam motores a combustão e elétricos) e também no nicho de veículos elétricos, algumas montadoras já disponibilizam seus modelos ecologicamente corretos para o consumidor brasileiro, que também deverá aprender a usar a água de modo mais racional.
Por fim, em 2015, infelizmente, muitos pontos do planeta continuarão a conviver com a violência, a intolerância, a tortura, os assassinatos e perseguições movidos por puro ódio, seja ele religioso, político ou por diferenças étnicas e culturais. Em alguns pontos da Terra, grupos extremistas tentam impor sua visão mais do que radical de como deve ser a vida em sociedade. Esquecem que somos todos humanos e descendemos de um mesmo ancestral comum, que há muito deixou a África e se espalhou e conquistou todo o planeta. Somos um só, independente da religião, cor da pele, altura e idioma. Não podemos nos esquecer disso!
 
Foto: Reprodução G1

quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

2015 promete boa safra de filmes

Mega produções devem encher as salas de cinema

 

            Para quem gosta de cinema, 2015 tem tudo para ser um ano de atrações que vão desde superproduções à dramas e comédias que resgatam o talento de atores consagrados, mas que andavam meio esquecidos.
            Se nos últimos anos a saga Jogos Vorazes atraiu a atenção principalmente da galera teen, os adultos poderão se deliciar com filmes de franquias já conhecidas, como o Exterminador do Futuro – Gênesis, quarto filme da série que transformou Arnold Schwarzenegger em um dos maiores astros de Hollywood. A história do robô assassino enviado do futuro para matar a mãe de um líder rebelde foi lançada em 1984 com Schwarzenegger interpretando o personagem principal e teve três filmes na sequência, que arrecadaram mais de US$ 1 bilhão em bilheterias de todo o mundo. O filme deve estrear no Brasil em 2 de julho do ano que vem. Você pode ter um gostinho vendo o trailer no Youtube. Vale a pena!

            Quem tem mais de 40 anos devem se lembrar de Mad Max, filme do começo dos anos 80 que lançou Mel Gibson e fez muito garoto sonhar com um carrão preto envenenado que perseguia bandidos que aterrorizavam as estradas de uma terra longínqua. O terceiro longa da série contou até com a cantora Tina Turner. Pois bem; Max está de volta (sem Mel Gibson), ms dirigido pelo mesmo George Miller do primeiro filme. Estrada da Fúria conta a história de um mundo após o apocalipse e traz no elenco a bela atriz sul-africana Charlize Teron. O filme deve estrear no verão de 2015 nos Estados Unidos.
 
Guerra nas Estrelas
Talvez a mais bem-sucedida franquia de toda a história do cinema. Guerra nas Estrelas (Star Wars) arrebatou fãs no mundo todo (e bilhões de dólares também) e volta em 2015, ou seja, a dois anos da saga completar 40 anos de sua estreia nas telas de cinema. Agora, será o Episódio 7 da saga, intitulado O Despertar da Força.
Cena do vídeo mostra o novo sabre de luz
No final de novembro, a Disney divulgou um teaser com as primeiras imagens da produção. O vídeo mostra a nave Millenium Falcon, pilotada por Han Solo na trilogia original, e um novo sabre de luz, com três pontas. O longa estreia em 17 de dezembro de 2015 e é dirigido por J.J. Abrams, o nome por trás da série de ficção-cientifica Fringe e que também dirigiu os novos Jornada nas Estrelas. A história acontece mais de 30 anos após os acontecimentos de "Star Wars: Episódio VI: O Retorno de Jedi", em que Luke Skywalker consegue fazer com que Darth Vader encontre o seu lado bom e elimine o Imperador Palpatine na segunda Estrela da Morte.
A produção tem cenas rodadas em várias partes do mundo, como o deserto de Abu Dhabi. Além de dirigir, Abrams também colaborou com o roteirista Lawrence Kasdan. Ele também assina a produção, junto com Kathleen Kennedy e Bryan Burk. O compositor John Williams, que fez a trilha sonora de todos os seis filmes, voltou à franquia.
 
Super-Heróis
            Os fãs de super-heróis também terão sua fatia nesse bolo cinematográfico. A Sony prepara mais uma história do Homem-Aranha e a Marvel, o estúdio que mais fatura nos dias atuais, pode surpreender com uma superprodução envolvendo praticamente todo o universo de seus personagens. Talvez essa seja a razão pela qual Robert Downey Jr recusou o papel de Homem de Ferro em mais um filme do herói, apesar do modesto salário de US$ 40 milhões. E tem também a segunda parte de Jogos Vorazes, a Esperança, o filme Êxodo, que conta a história de Moisés, com Christian Bale no elenco e a sequencia de Procurando Nemo.
 
Dramas e comédias
            Nem só de aventura ou mega produções vive o cinema. Comédias, drama e interpretações marcantes de atores consagrados e novatos também fazem parte da magia da telona (e também da telinha).
            É o caso da comédia de humor negro Birdman, que recebeu o maior número de indicações da Screen Actors Guild (SAG), o sindicato de atores dos Estados Unidos, quatro ao todo, incluindo a de melhor filme.
O drama "Boyhood: da Infância à Juventude", o biográfico "A Teoria de Tudo" ae o thriller "O Jogo da Imitação" ficaram em segundo lugar com três indicações cada um. Todos os quatro foram indicados para melhor elenco, junto com a comédia "O Grande Hotel Budapeste". Para melhor ator, Michael Keaton ("Birdman") concorre com Benedict Cumberbatch ("O Jogo da Imitação"), Eddie Redmayne ("A Teoria de Tudo"), Steve Carell ("Foxcatcher - Uma História que Chocou o Mundo" e Jake Gyllenhaal ("O Abutre").
Os vencedores da 21ª premiação do SAG serão anunciados em 25 de janeiro. O prêmio é dividido em duas categorias, cinema e televisão. As indicações do SAG são feitas 24 horas antes do Globo de Ouro, o prêmios da imprensa internacional em Hollywood, e dão início à temporada de premiações de Hollywood, que termina com o Oscar, cuja cerimônia de entrega será em 22 de fevereiro. Veja matéria completa na edição de janeiro da revista Hadar.

terça-feira, 9 de dezembro de 2014

Semana da Música acontece até quinta-feira


Hoje é dia de apresentação de sax, violão e percussão

 

Até o próximo dia 11 (quinta-feira) alunos da Escola Livre de Música, mantida pela Prefeitura de Itapetininga se apresentarão gratuitamente para o público, junto com seus professores. As audições acontecem no prédio da escola, com entrada pela rua Júlio Prestes, 701, centro.
Nesta terça-feira, a partir das 20 h, estarão se apresentando os professores Roberto Pedroso (saxofone), Célio da Silva Júnior e Ricardo Grion (violão), além do professor Cantídio Alves Neto, na percussão.
Na quarta-feira, também a partir das 20 h, a professora Maria Isabel Chagas se apresenta ao piano, acompanhada pelo professor Edvaldo Fogaça, no saxofone.
            Na quinta, 11, encerrando a programação, haverá as apresentações dos professores Luis Marcos Caldana (Percussão), Alexandre Buab Júnior (Violão), Benedito de Paula (saxofone e flauta transversal) e Mário Chagas (Percussão).

segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

Edição especial marca os sete anos da revista Hadar

Revista é um veículo de integração da Região
 
Capa da edição especial da Hadar
            Neste mês de Dezembro, a revista Hadar completa sete anos de existência e vem se consolidando como um importante veículo de comunicação e integração das 12 cidades onde circula.
            Não é fácil fazer uma revista que entenda a realidade de nossa Região, que possui muitas particularidades, mas tem como traço comum a hospitalidade de um povo trabalhador, que não tem medo de pegar no batente.
            E é preciso coragem mesmo para construir diariamente um mundo melhor, ou pelo menos não ter medo de lutar por este sonho. Também é preciso coragem para fazer um veículo de comunicação que se paute pela ética, seriedade e, sobretudo, pelo respeito ao leitor. Um veículo que fale a nossa língua e entenda que existem diferenças de uma cidade para outra.
            Um órgão de imprensa que não tenha medo de tocar em temas polêmicos, com a realidade da AIDS em nossas cidades, a preservação do Meio Ambiente, a situação dos nossos rios, a estiagem que afeta o Estado há meses, ou a busca pelo corpo perfeito e o ato de amor que é a doação de órgãos ou adotar uma criança.
            Estes são apenas alguns temas que foram capa da revista nos últimos sete anos. E olha que a Hadar é antenada com tudo que interessa ao leitor: Moda, Comportamento, Saúde, Qualidade de Vida, Tecno e Universo Teen. Sem falar do Realize-se, um projeto social que, através de um gesto de solidariedade de colaboradores, parceiros e amigos, realiza os sonhos de muitas pessoas, inclusive casamento, ao longo desses anos, a revista já realizou cinco casamentos. São seções pensadas, planejadas e concretizadas para possibilitar uma boa leitura, além de estar em sintonia com a sociedade moderna. Veja matéria completa, com depoimentos de pessoas que tiveram a vida transformada pela revista, na edição especial da Hadar, que já está saindo do forno.

quinta-feira, 4 de dezembro de 2014

Campanha ajuda mulher a realizar sonho


Vendedora autônoma quer cadeira motorizada para ter mais independência

 
Ana Rodrigues
            Portadora de necessidades especiais, a vendedora autônoma Ana Aparecida de Oliveira Rodrigues, de 54 anos, sonha em ter mais independência para se locomover dentro de casa e também sair às ruas para vender seus iogurtes caseiros ou oferecer produtos de catálogos, como lingerie, por exemplo.
            Separada, vive com a filha de 27 anos, que precisa sair para trabalhar. “Quando ela sai, fico sozinha em casa, pois preciso de alguém para empurrar a cadeira de rodas se quiser sair à rua ou mesmo andar muito dentro da minha casa”, conta a vendedora. O sonho de Ana Aparecida é ter uma cadeira de rodas motorizada, para que assim consiga se locomover na rua.
            A história da vendedora, que aos 11 meses de idade foi vítima da poliomielite e perdeu o movimento das pernas, motivou uma campanha nas redes sociais para angariar fundos para a compra da cadeira com motor. A iniciativa é da artesã Mariza Cristina, sobrinha de Ana. Ela pede que as pessoas compartilhem a história de sua tia e contribuam com qualquer quantia, se puderem.
            A campanha chegou ao conhecimento de Simplesmente Divina e a revista decidiu ajudar, contando essa historia. “Essa é uma história emocionante de superação; uma trajetória de vida de uma pessoa, uma mulher, que superou e supera muitas adversidades e leva a vida feliz”, afirma a editora de SD, Divina Maria, “enquanto muitos de nós reclamam de tudo, até de unha encravada”, completou Divina.
            “Essa é mais uma oportunidade que as redes sociais têm de mostrar sua força! É fácil! É só compartilhar!”, observou Divina, ela mesma se emociona com a história de Ana Aparecida. “Vamos todos colaborar com esta iniciativa, que é uma coisa muito bonita. Nós, da SD, apoiamos esta campanha de todo coração”.
 
A escolha por ser feliz
            “Ela teria tudo para ser triste e infeliz pelas limitações e até humilhações que a vida lhe impôs, como o preconceito de algumas pessoas e o fato de estar sempre dependendo de alguém para se locomover”, comenta a sobrinha Mariza, destacando que sua tia escolheu ser feliz e sonhar, “mesmo sendo uma mulher cativa dentro de sua própria casa, pois quem anda normalmente ignora essa situação (depender de outro para se locomover), mas quem passa por isso sabe como é complicado”.
            Veja matéria completa na próxima edição da revista Simplesmente Divina, que está saindo do forno. Quem quiser ajudar:
 As doações podem ser feitas através da Caixa:  
CEF (102)  AGENCIA 0307 OP 013 00026090/9

quarta-feira, 3 de dezembro de 2014

”Comida saudável não precisa abrir mão do sabor”, diz chef de bistrô


Profissional de marketing cria cardápio de comida vitalizante e saudável

 
AGNI combina pratos saudáveis com sabor diferenciado
            Comer bem, com um cardápio que reúne comida saudável, que traga benefícios para o corpo e o emocional da pessoa. Essa é a proposta da AGNI Bistrô, criada em 2013 por Érico Paes de Camargo, ou Rico, como gosta de ser chamado.
            Profissional de marketing que resolveu dar uma guinada na vida, após atuar em uma grande empresa do setor de bebidas, Rico encontrou no segmento de alimentação uma alternativa para melhorar sua qualidade de vida. Após atuar no ramo de maneira informal durante algum tempo, estruturou a AGNI no final de 2013. O objetivo é oferecer aos seus clientes pratos que, além de saudáveis e funcionais, também tenham sabor. Afinal, não é porque a comida é saudável que tenha de ter um sabor ruim.
            Para Rico, “a culinária está ligada ao processo de criatividade e comer bem está ligado a comer com a consciência de que, automaticamente, vem a qualidade e sabor. É importante se deixar permitir, para isso tenho o slogan Permita-se SENTIR novos sabores. Isso, além de remeter ao alimento, é algo que acredito que devemos levar para a vida: quebrar tabu e não ficarmos preso a paradigmas”.
            Profissional de marketing, chef de cozinha e agora empreendedor. Todas essas faces de Rico Camargo se mesclam no dia a dia do seu empreendimento.
            “Marketing está no meu DNA, é algo que aprendi a gostar e respeitar. Então diria não mudei de área, agreguei outra”, diz o empresário, bem-humorado, ao ser perguntado porque mudou para o ramo de alimentação. “O ramo de alimentos é algo fascinante que me ajudou muito como Ser Humano; aprendi a respeitar o sistema cíclico da natureza, e fui apresentado a alimentação, a principio, como algo prazeroso (período que trabalhava no marketing das cervejas Baden e Eisenbanh) e por uma necessidade emocional descobri o quanto ela influencia nosso emocional e o físico”.
 
De volta à terra natal
            Sobre a escolha de volta à cidade de Cesário Lange, Rico revela que é a sua terra natal, “onde tive uns dos meus melhores momentos da vida, nada mais inspirador de iniciar um projeto em um local inspirador! Mas tirando o lado emocional e indo para o prático, temos um sitio na região que proporcionou fazer o projeto mais próximo possível do agronatural e viabilizando uma estrutura já existente, além da logística, pois estou à margem da Rodovia Castelo Branco, com fácil escoamento para todo interior e a 140 km da Capital”.
            Nesse processo de descobrimento de novas perspectivas e valores de vida, o apoio da família foi fundamental, “me apoiaram em tudo”, principalmente a mãe do empresário, Maria Malori, chamada por ele de “mulher iluminada!”. Rico conta ainda que recebeu “muitos apoios e conselhos de pessoas que já atuavam no ramo e que me deram muita clareza”.
 
Começo
            Rico Camargo lembra que “há cinco anos estudo e atuo no segmento de alimentação informalmente, e no final de 2013 iniciei o projeto AGNI Bistrô que traz uma alimentação com princípios vitalizantes (integrais e funcionais) e com requinte de algo mais sofisticado, com o objetivo de atender clientes como barzinhos, cafés,  empórios e delicatessen, fornecendo suporte para estes atenderem seus consumidores”.
            Como em todo negócio, a principal dificuldade foi colocar a coisa para funcionar. “Como todo inicio, o grande desafio foi e está sendo iniciar, pois são vários desafios operacionais e tudo para estruturar, como: definir o mercado, cardápio, normalizar esse cardápio e estratégia de comunicação. Ter que acreditar em algo muitas vezes abstrato, como investir sem ter o mercado (venda real), agora já estamos na fase que da para fazer conta quanto irei investir e em quanto tempo consigo retornar em venda”.
            Ele explica porque decidiu trabalhar com alimentos vitalizantes e congelados. “Vitalizante pelo principio que acredito que alimentação deve ser algo prazeroso, mas ela tem obrigação de contribuir com nosso emocional e físico. O vitalizante vem justamente para entregar algo positivo por ser algo mais próximo possível do natural.
Congelada é para praticidade e maior garantia da qualidade aos consumidores, podendo chegar aos clientes mais distantes”.
            O empresário observa que o processo de elaboração e criação de um prato segue princípios mercadológicos, como pesquisa de mercado e conversas com clientes para “sentir a necessidade; eu gosto de ouvir bastante”. Mas Rico também segue a estratégia de tentativa e erro. “Pesquiso uma receita e acrescento meus toques pessoais, chego ao sabor que me agrada e posteriormente é adequado à forma de produção para que preserve a integridade e aspecto do produto que sofrerá choques (congelamento e aquecimento) até a mesa do consumidor”.
 
Risoto AGNI
Mito
            Rico rebate o argumento de que a culinária vegetariana não tem sabor: “é uma das mais criativas, e consequentemente, saborosas. O que as pessoas confundem é dieta de restrição alimentar, pois muitos pedem a restrição de carne, ai sim esses pratos muitas vezes acabam sendo insossos ou deixam de utilizar alguns ingredientes já conhecidos pelo paladar, mas isso NÃO é culinária vegetariana”, garante o chef.
 
Trajetória
            Aos 36 anos, separado e pai de duas filhas, Rico atuou durante 15 anos em trade marketing de cervejarias. “Nestes dois últimos anos fui responsável pela comercialização da Baden Baden e Eisenbahn na Capital Paulista, período de vasto contato com canais especiais e alimentos/bebidas gourmet”, conta o chef, ressaltando que “Já há algum tempo vinha desgastado com a pressão mercadológica do segmento, e busquei fontes alternativas de reestruturar e minimizar meu stress, foi quando deparei com a terapia Ayrveda, que tem como principio equilíbrio corpo/mente pela alimentação”.
            Mesmo separado, ele mantém uma boa relação com a ex-mulher Daniela Bochnia, designer responsável pela criação da logomarca e identidade visual da AGNI. “Quando a Daniela me apresentou os estudos da logomarca da AGNI, foi ai que pude visualizar com maior fervor onde poderia chegar”, diz o empresário sobre um episódio marcante nesta caminhada. “Outro momento marcante foi quando de fato fiz meus primeiros pratos na minha cozinha no Sitio, me senti muito realizado”.
            Sobre o futuro, Rico afirma que “gosto de sonhar e criar expectativas positivas, isso me dá prazer em viver e caminhar. A AGNI Bistrô deverá ser uma marca nacional em dar suporte aos seus clientes. E por que não ser uma franquia?”.
            O empresário diz estar realizado. “Fazer o que a gente gosta é plenitude, pude juntar vários aspectos que amo: uma vida agitada e urbana alinhada com a calma e tranquilidade da fazenda. Marketing: estruturar essa marca, visitar clientes, pesquisa e relacionamento. Cozinhar: Terapia, onde consigo expor criatividade. Meio ambiente: Estar próximo da mata, animais e plantas e conviver harmoniosamente é um privilégio muito grande restrito a poucos”.
 
Investimentos
            O empresário investiu recentemente em novos equipamentos, com a aquisição de ultracongelador, peça que garante a saúde do alimento congelado, mantendo suas características originais. Além disso, uma nova linha de pratos, incluindo risotos e yakissobas, já está pronta para ser comercializada.
Você pode saber mais curtindo a página do AGNI no Facebook ou pedindo informações pelos telefones 15 99681-8080 ou 15 3246-3168.

terça-feira, 2 de dezembro de 2014

Municípios devem assumir iluminação pública até o final do ano


Muitas cidades não conseguiram se adaptar à determinação federal

 
Nova iluminação no Largo dos Amores

            Os municípios brasileiros têm até o próximo dia 31 de dezembro para assumir a manutenção da iluminação pública municipal, conforme determina a Constituição Federal. O objetivo, segundo resolução da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANAEEL), é fazer com que as cidades tenham maior autonomia para gerir os custos da iluminação pública. Apesar do prazo ter sido prorrogado em um ano, cerca de dois mil municípios não conseguiram completar a transição e ainda dependem de concessionárias. A ANAEEL informou que o prazo não será prorrogado.
            Em Itapetininga, a assessoria de imprensa da Prefeitura confirmou, através de nota encaminhada por e-mail, que o município assumirá toda a manutenção da rede pública de iluminação a partir de 2015,
            Ainda de acordo com a assessoria de imprensa, a administração municipal já é responsável pela manutenção dos postes da rede pública e realiza mensalmente uma média de 400 trocas de lâmpadas. A prefeitura informou também que “Equipes constantemente estão nas ruas e verificam a necessidade de troca de lâmpadas e realizam a troca”.
            Em caso do cidadão constatar algum problema com a iluminação pública na sua rua, a Prefeitura informou que a pessoa “pode ligar solicitando a troca pelo telefone 156 ou no Setor de Iluminação 3275.1643”.
 
Longa espera
            Comerciantes e moradores da avenida Francisco Válio, no trecho entre as ruas São Vicente de Paula e Capitão José Leme, ficaram quase um ano esperando a troca da lâmpada de um poste da avenida. “Queimou em novembro do ano passado e vieram trocar em agosto deste ano”, comentou um comerciante, que preferiu não se identificar. Para ele, o trabalho de manutenção não se resume ao ato de trocar as lâmpadas queimadas ou com mal funcionamento.
    
Trecho da rua é considerado perigos
a noite, devido à pouca iluminação
        “Ela (a lâmpada) possui uma vida útil e com o tempo vai cansando (perdendo a luminosidade) não precisa esperar queimar para trocar. Além disso, o vidro vai ficando sujo, com poeira e insetos mortos e prejudica a iluminação. Tem que fazer uma limpeza regular”, disse o comerciante, lembrando que a iluminação pública da cidade no passado era conhecida como Tomatinho. “Eram umas lamparinas vermelhas, pequenas, que pareciam um tomate e não iluminavam quase nada”, conta o comerciante, ressaltando que ainda há muitos pontos mal iluminados na cidade. “Quando minha filha precisa ir até a padaria aqui perto, eu vou junto com ela e caminhamos pela rua, pois este trecho da Capitão José Leme é muito escuro”. O comerciante ressalta ainda que a calçada no trecho citado da rua está muito mal conservada, outro motivo pelo qual prefere andar pela rua.
 
Fotos: Divulgação (Largo dos Amores); Marco Antônio (rua Capitão José Leme)

quinta-feira, 27 de novembro de 2014

Polícia prende suspeitos de ordenar toque de recolher na Capital


Ação seria uma retaliação contra a morte de
suposto traficante, ocorrida na Zona Norte de São Paulo

 
Criminosos incendiaram veículos
na última terça-feira, em São Paulo
A Polícia Civil identificou e deteve suspeitos de determinarem toque de recolher e de atacar ônibus na última terça-feira na Zona Norte de São Paulo. A informação foi confirmada ontem pela Secretaria da Segurança Pública (SSP). Está sendo investigada a possibilidade de a ação criminosa ter sido orquestrada para vingar o assassinato de um traficante, neste domingo.
Segundo o governo, quatro pessoas, sendo dois adolescentes, foram detidos por suspeita de ordenarem comerciantes a baixarem as portas. Eles acabaram responsabilizados por associação criminosa. Os maiores ficarão presos e os adolescentes serão apreendidos e levados a uma unidade da Fundação Casa, onde passarão por medidas socioeducativas.
Outras 12 pessoas foram identificadas por suspeita de participação nos ataques incendiários a veículos, segundo informou o G1, portal de notícias da Tv Globo. Um ônibus e um carro foram queimados a 200 metros da sede do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic), da Polícia Civil. Entre os suspeitos, cinco são adolescentes. A polícia tenta localizá-los.

Outros ataques
Além da Zona Norte, a Zona Leste da capital, mais Osasco e Cubatão registraram ações criminosas contra veículos na terça-feira. A polícia investiga se os casos têm relação e se também teriam sido motivados pela prisão de um criminoso na terça. Márcio Geraldo Alves Ferreira, o Buda, estava foragido desde 2010.
 
Retaliação
            A morte de um suposto integrante da facção criminosa que age dentro e fora dos presídios paulistas, ocorrida na noite do último domingo, seria o estopim para uma nova onde de ataques contra ônibus e policiais, segundo boatos que circularam por bairros da Zona Norte da Capital paulista e através de mensagens de áudio enviadas através do aplicativo Whatsapp.
            Embora a autenticidade das mensagens não tenha sido confirmada pelas autoridades, o Marconews recebeu quatro desses áudios. Em um deles, um homem que se identifica como irmão do rapaz assassinado “convoca” outros integrantes da facção para os ataques. "Quero dizer aí pra todo o pessoal que faz parte da facção que hoje (...) vai reunir todo mundo aí e a gente vai fazer um 'alvoraço', hein? Só lembrando que o pessoal que mora aí na redondeza, pra guardar carro, o que for. A gente vai sair tacando fogo em tudo".
            Em outra mensagem, um homem que parece ser policial avisa que os bandidos tentariam assassinar um policial militar que mora em um conjunto habitacional na Zona Leste. “Fica ligeiro aí”, avisa o homem.
 
Morte em pizzaria
Segundo o G1, portal de notícias da Globo, todos os arquivos de áudio citam a morte de Jeorge Vieira Ponciano, conhecido como JJ, em uma pizzaria no domingo. Ele é identificado como o homem de 39 anos que morreu após ser baleado em uma pizzaria, no Jardim Brasil, Zona Norte de São Paulo. Ele estava no estabelecimento, na esquina da Rua Tosca com a Avenida Roland Garros, quando dois homens passaram em duas motos atirando, de acordo com a polícia.
 
Ordem
            A ordem para atacar policiais teria partido do chefe do tráfico no Jardim Ângela, segundo outra mensagem de texto que também circulou na terça-feira e à qual o blog também teve acesso. De acordo com a mensagem, a missão – matar três policiais até sexta-feira – teria sido dada a dois novos integrantes da organização criminosa. Também não há como confirmar a veracidade dessa mensagem.
 
Toque de recolher
            Ainda conforme o G1, o comércio fechou mais cedo em bairros da Zona Norte da cidade de São Paulo na tarde de terça-feira após boatos de toque de recolher circularem entre lojistas e também por grupos de Whatsapp.
Os comerciantes de bairros como Jardim Brasil, Parque Edu Chaves, Vila Ede, Vila Medeiros, Vila Sabrina e Vila Guilherme fecharam as portas a partir das 15h.
A cerca de 10 km de distância do ponto onde o comércio encerrou as atividades mais cedo, um ônibus foi incendiado na Avenida Zaki Narchi, 125, no Carandiru. A Polícia diz que ninguém ficou ferido e apura os motivos do ataque.
            Por conta dos boatos, o comércio e até instituições e serviços fecharam mais cedo nos bairros citados nas mensagens. Pessoas passavam apressadas pelas ruas e policiais de armas em punho abordavam suspeitos. Até escolas lideraram os pais para pegar os filhos mais cedo, se desejassem.

quarta-feira, 26 de novembro de 2014

Boatos alertam para supostos ataques de facção criminosa na Capital


Ação seria uma retaliação contra a morte de suposto integrante

Ônibus queimado na tarde desta teça, em São Paulo
 
            A morte de um suposto integrante da facção criminosa que age dentro e fora dos presídios paulistas, ocorrida na noite do último domingo, seria o estopim para uma nova onde de ataques contra ônibus e policiais, segundo boatos que circularam hoje por bairros da Zona Norte da Capital paulista e através de mensagens de áudio enviadas  pelo aplicativo Whatsapp.
            Embora a autenticidade das mensagens não tenha sido confirmada pelas autoridades, o Marconews recebeu quatro desses áudios. Em um deles, um homem que se identifica como irmão do rapaz assassinado “convoca” outros integrantes da facção para os ataques. "Quero dizer aí pra todo o pessoal que faz parte da facção que hoje (...) vai reunir todo mundo aí e a gente vai fazer uma 'alvoraça', hein? Só lembrando que o pessoal que mora aí na redondeza, pra guardar carro, o que for. A gente vai sair tacando fogo em tudo".
            Ainda conforme a mensagem, o encontro seria no cruzamento da Avenida Ede com Avenida Conceição na noite desta terça. Até o fechamento desta matéria, entretanto, não havia a confirmação se houve algum ataque.
            Em outra mensagem, um homem que parece ser policial avisa que os bandidos tentariam assassinar um policial militar que mora em um conjunto habitacional na Zona Leste. “Fica ligeiro aí”, avisa o homem.
 
Morte em pizzaria
Segundo o G1, portal de notícias da Globo, todos os arquivos de áudio citam a morte de Jeorge Vieira Ponciano, conhecido como JJ, no domingo. Ele é identificado como o homem de 39 anos que morreu após ser baleado em uma pizzaria, no Jardim Brasil, Zona Norte de São Paulo. Ele estava no estabelecimento, na esquina da Rua Tosca com a Avenida Roland Garros, quando dois homens passaram em duas motos atirando, de acordo com a polícia.
 
Ordem
            A ordem para atacar policiais teria partido do chefe do tráfico no Jardim Ângela, segundo uma outra mensagem de texto que também circulou nesta terça-feira e à qual o blog também teve acesso. De acordo com a mensagem, a missão – matar três policiais até sexta-feira – teria sido dada a dois novos integrantes da organização criminosa. Também não há como confirmar a veracidade dessa mensagem.
 
Toque de recolher
            Ainda conforme o G1, o comércio fechou mais cedo em bairros da Zona Norte da cidade de São Paulo na tarde desta terça-feira após boatos de toque de recolher circularem entre lojistas e também por grupos de Whatsapp. A Secretaria da Segurança Pública de São Paulo (SSP) diz que não tem detalhes, mas que apura os boatos de que criminosos decretaram toque de recolher. Pelo Twitter, a PM diz que o policiamento está reforçado na região "a pedido de usuários, garantindo sensação segurança e silenciando boatos".
Os comerciantes de bairros como Jardim Brasil, Parque Edu Chaves, Vila Ede, Vila Medeiros, Vila Sabrina e Vila Guilherme fecharam as portas a partir das 15h.
A cerca de 10 km de distância do ponto onde o comércio encerrou as atividades mais cedo, um ônibus foi incendiado na Avenida Zaki Narchi, 125, no Carandiru. A Polícia diz que ninguém ficou ferido e apura os motivos do ataque.
            Por conta dos boatos, o comércio e até instituições e serviços fecharam mais cedo nos bairros citados nas mensagens. Pessoas passavam apressadas pelas ruas e policiais de armas em punho abordavam suspeitos. Até escolas liberaram os pais para pegar os filhos mais cedo, se desejassem.

quarta-feira, 19 de novembro de 2014

Mato e sujeira tomam conta de ruas na cidade

Em alguns pontos, a calçada está quase toda tomada por capim
Mato quase toma conta de calçada na
rua Expedicionários, no centro da cidade
 
O mato e a sujeira tomam conta de algumas ruas de Itapetininga, inclusive na área central da cidade e em bairros tradicionais, como a Vila Rosa.
Nas últimas semanas, o Marconews percorreu algumas dessas ruas e constatou o problema. O mato também prevalece próximo ao ginásio Mário Carlos Martins, na área central, cuja obra de reforma está parada há mais de um ano.
Além disso, há vários pontos onde não há iluminação pública, o que representa um risco à segurança de moradores e pedestres.
Rua  Esaú Moraes, em Vila Rosa
 
Silêncio
Procurada pelo blog, a assessoria de imprensa da Prefeitura não se manifestou até o fechamento desta matéria. Veja agora algumas perguntas sem respostas:
 
Existem algumas ruas, inclusive na área central da cidade, onde o mato cresceu a ponto de tomar quase toda a calçada. A administração municipal está ciente do problema? Quais medidas podem ser adotadas?
 
De quem é a responsabilidade pela capinação das ruas? E quanto ao lixo acumulado em alguns pontos?
 
O mato também aparece em frente ao ginásio Mário Carlos, na área central da cidade e cuja obra está parada desde o início da atual administração. Há planos para a retomada dos trabalhos até o final do atual governo?
 
Também existem muitos postes sem iluminação. Qual o procedimento da administração nesta questão? Existe algum trabalho de manutenção da iluminação? Se existe, não seria o caso de verificar esses postes que estão apagados? Como o cidadão pode informar se há problema na iluminação pública na sua rua?